Afeto na educação: transgredindo o lugar de professor/a

Conteúdo do artigo principal

Anna Carolina Ioras
https://orcid.org/0000-0001-9571-5479
Thiago Colmenero Cunha
https://orcid.org/0000-0001-8202-3377

Resumo

O presente trabalho faz uma reflexão sobre a relação educador/a-estudante e os afetos que a circundam, bem como olhar para o quão potente este encontro pode ser. Investiga-se aqui uma proposta de cuidado, que integra a/o estudante, de forma a agregar ao processo educacional as intercorrências da vida, os múltiplos processos de produção de subjetividade. Alinhado às discussões baseadas na psicologia educacional crítica, na educação popular e na educação antirracista, aposta-se nesse manuscrito em uma educação que potencialize trocas contínuas de saberes afetivos e pedagógicos, um modelo de educação que integra corpo e mente, que não visa somente racionalizar o desenvolvimento humano. Através de um relato de experiência localizado e embasado na literatura científica, o texto apresenta compilados relacionais entre vivências escolares dos pesquisadores. Entendendo as práticas educativas a partir das relações e com base nos inúmeros afetos que circulam esses encontros, defende-se aqui uma educação com respeito ao que nos atravessa, uma educação vivencial, relacional e por consequência horizontal.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
IORAS, A. C.; CUNHA, T. C. Afeto na educação: transgredindo o lugar de professor/a. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–18, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.17192.008. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/17192. Acesso em: 26 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Anna Carolina Ioras, Universidade Santa Úrsula - USU

Psicóloga pela Universidade Santa Úrsula (USU), professora de educação infantil.

Thiago Colmenero Cunha, Universidade Santa Úrsula - USU

Psicólogo (UFRJ), pedagogo (UNIRIO), mestre e doutor em Psicologia (UFRJ). Psicólogo clínico-institucional. Professor da graduação em Psicologia da Universidade Santa Úrsula (USU), campus Botafogo e Colégio.

Referências

ANDRADA, P. C. de; DUGNANI, L. A. C.; PETRONI, A. P.; SOUZA, V. L. T. de. Atuação de Psicólogas (os) na Escola: enfrentando desafios na proposição de práticas críticas. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 39, n.1, 2019.

LISBOA, F. de A.; CUNHA, T. C.; BICALHO, P. P. G. de. Para uma educação inventiva: a circulação de palavras e grupos de análise dos processos de escolha como afirmação de potência. REXE Revista de Estudios y Experiencias en Educación, v.2, p.1-16, 2018.

BAKER, E. F. Problemas de Contato. In: BAKER, E. F. O labirinto humano causas do bloqueio da energia sexual: Novas buscas em psicoterapia. 13 ed. São Paulo: Summus editorial, 1980.

BARREIRO, M. F.; CARVALHO, A. B.; FURLAN, M. R. A arte e o afeto na inclusão escolar: potência e o pensamento não representativo. Childhood & Philosophy, Rio de Janeiro, v. 14, n. 30, p.517-534, 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF. 1996.

CARVALHO, M. P. de. Ensino, uma atividade relacional. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 11, p. 17-32, 1999.

DAYRELL, J. A escola como espaço sociocultural. In: Dayrell, J. (Org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. 2ª. reimpressão. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

DELEUZE, G. Espinoza: filosofia prática. Tradução de Daniel Lins e Fabien Pascal Lins. São Paulo: Escuta, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 42 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P. Ensinar exige consciência do inacabado. In: Freire, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 54 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

HOOKS, B. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. 2ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.

INKIRI, T. Educação Consciente - Escola Viva Inkiri. Maraú: Editorial Inkiri; Centro de Realização do Ser – Piracanga, 2014.

LAZZAROTO, G.; CARVALHO, J. Afetar. In: FONSECA, T.; NASCIMENTO, M. L. do; MARASCHIN, C. Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012.

LOURAU, R. Análise Institucional e Práticas de Pesquisa. Rio de Janeiro: Ed.UERJ, 1993.

MATTOS, A. R.; PÉREZ, B. C.; ALMADA, C. V. R.; CASTRO, L. R. de. O cuidado na relação professor-aluno e sua potencialidade política. Estudo de Psicologia, Natal, v. 18, n. 2, p. 369-377, jun, 2013.

MOEHLECKE, V. Oficinar. In: FONSECA, T.; NASCIMENTO, M. L. do; MARASCHIN, C. Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012.

MORAES, M. PesquisarCOM: política ontológica e deficiência visual. In: MORAES, M.; KASTRUP, V. Exercícios de ver e não ver: arte e pesquisa com pessoas com deficiência visual. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2010.

PASSOS, E.; KASTRUP; V.; ESCÓSSIA, L. da. (Orgs.). Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina., 2015.

PIRACANGA (s/a). Escola Inkiri. Disponível em: https://piracanga.com/projetos/escola-inkiri/. Acesso em: 24 nov. 2019.

ROMANO, G. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G; SCHIMIDT, J. (Org.). História dos Jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

SAGRADO, A.; PEREZ, R.; GUEDES, A. [diretores]. Quando sinto que já sei [filme]. Belo Horizonte: Despertar Filmes. 78min. Colorido, 2014.

SANTOS, D. C. C. dos. O cuidado no espaço escolar: ampliando as possibilidades de cuidar. Estudos e pesquisas em psicologia, Rio de Janeiro, v. 15, n. spe, p. 1329-1344, dez, 2015.

SAYÃO, D. T. Relações de gênero e trabalho docente na educação infantil: um estudo de professores em creche. 2005. 274 fls. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2005.

SAYÃO, D. T. Não basta ser mulher... não basta gostar de crianças… "Cuidado/educação" como princípio indissociável na Educação Infantil. Educação (UFSM), vol. 35, n. 1, p. 69-84, Jan./Abr, 2010.

SOARES, L. Um convite para um começo de conversa sobre a graduação em Psicologia: pensando uma versão da Psicologia do Desenvolvimento pela TAR. Estudo e pesquisa em psicologia. Rio de Janeiro, v. 15, n 4, p. 1303-1228, Dez, 2015.

THOMAZ, A. O vazio de todas as coisas! Piracaia: Amalaya, 2019.

TIMM, F.; PEREIRA, O. Teoria dos afetos de Espinosa: ruptura com as servidões em psicologia. In: LEMOS, F.; GALINDO, D.; BICALHO, P.; OLIVEIRA, F.; SANTOS, I.; SANTOS, A.; ELMENESCANY, E.; ALMEIDA, M. (Orgs.). Criações transversais com Gilles Deleuze: artes, saberes e política. Curitiba: Editora CRV, 2016.

TRINDADE, A. L.; BRANDÃO, A. P. (Orgs.). A Cor da cultura – Modos de brincar: caderno de atividades, saberes e fazeres. Rio de Janeiro: Fundação Robero Marinho, 2010.

TRINDADE, A. L. da. Olhando o com coração e sentindo com o corpo inteiro no cotidiano escolar. In: TRINDADE, A. L. da; SANTOS, R. dos. (Orgs.) Multiculturalismo: mil e uma faces da Escola. Rio de Janeiro: DP&A, 160p, 1999.

TRINDADE, A. L. A Cor da cultura - Saberes e fazeres, v.1: modos de ver. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006.