Educação e vivências interculturais: contribuições dos círculos de cultura em práticas libertadoras

Conteúdo do artigo principal

Giselle Moura Schnorr
Joana D'Arc Vaz
Almir Sandro Rodrigues

Resumo

Este artigo apresenta resultados parciais de um trabalho coletivo que articula ações de pesquisa e de extensão adotando Círculos de Cultura como princípio pedagógico e epistemológico no campo educativo. Nestas iniciativas pesquisa e extensão são assumidas num exercício de retroalimentação, de modo dialético e dialógico, acerca de questões concretas. O estudo bibliográfico aproximou a Pedagogia Libertadora de Paulo Freire e o Programa de Transformação Intercultural da Filosofia proposto por Raúl Fornet-Betancourt tendo como questão convergências entre interculturalidade e dialogicidade na construção de “inéditos viáveis”. Aspectos do pensamento destes autores e algumas iniciativas em curso são tratados no escopo deste trabalho. Avaliamos que intervir no instituído, provocar deslocamentos em favor de um novo ethos é possível e que Círculos de Cultura se apresentam com potencial epistêmico, ético e político com contribuições às práticas interculturais libertadoras, em contraponto às formas de embrutecimento do outro e de reprodução de mentalidades colonizadas.


Palavras-chaves: Filosofia Intercultural. Pedagogia Libertadora. Círculos de Cultura. 

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SCHNORR, G. M. .; VAZ, J. D.; RODRIGUES, A. S. . Educação e vivências interculturais: contribuições dos círculos de cultura em práticas libertadoras. Olhar de Professor, [S. l.], v. 24, p. 1–27, 2021. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.24.16773.018. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/16773. Acesso em: 26 jun. 2022.
Seção
Caderno temático: A atualidade do Pensamento de Paulo Freire