Os egressos da UEPG e o ensino de história: a formação de professores

  • Silvana Maura Batista de Carvalho Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
Palavras-chave: licenciatura, formação de professores, ensino de História, currículo

Resumo

O trabalho realizado pretendeu avaliar e contribuir para a formação de professores, buscou atingir os objetivos propostos de oferecer subsídios para o curso de licenciatura em História da Universidade Estadual de Ponta Grossa, em especial, à disciplina de Metodologia e Prática de Ensino, extraídos da prática pedagógica do professor. Para isso reportou-se aos egressos do curso, formados no período de 1987-92, a fim de que através da análise de alguns aspectos de sua prática fosse possível estabelecer o perfil do professor formado pela UEPG. Os professores graduados no período indicado sofreram a ação do projeto de estágio supervisionado – Marcos Referenciais da História em Ponta Grossa – implantado em 1990. Esse projeto trouxe novas dimensões ao estágio curricular que, em concordância com o Currículo Básico do Paraná, expressa uma concepção “renovada” para o ensino de História. A preocupação foi a de avaliar se e como tal concepção constitui o suporte teórico-metodológico da atuação do professor, por meio de estratégias docentes utilizadas para sua concretização. A pesquisa possibilitou a indicação de pontos de reflexão para a avaliação do curso , e para novas políticas de formação de professores, no curso de História da UEPG. Entre eles: a necessidade de superação da desarticulação entre as disciplinas do currículo do curso; a sugestão formulada pelos professores que apontam outros aspectos, além dos já atendidos, a serem considerados na formação docente visando atender a dinamicidade da realidade atual. Esses pontos possibilitam indicar a direção a ser dada nos cursos de licenciatura – a formação do “professor reflexivo.”
Publicado
2009-04-06
Como Citar
de CarvalhoS. M. B. Os egressos da UEPG e o ensino de história: a formação de professores. Olhar de Professor, v. 1, n. 1, 6 abr. 2009.
Seção
Artigos