O PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA E A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

  • Maria Adélia Costa CEFET-MG
Palavras-chave: Programa Saúde na Escola, Educação Básica, Saúde e Educação.

Resumo

Este texto apresenta o resultado de uma investigação sobre o Programa Saúde na Escola (PSE). A problemática está em apreender se essa integração multidisciplinar favorece a melhoria do processo ensino-aprendizagem, bem como da qualidade de vida, dos estudantes matriculados em instituições públicas de educação básica. Teve como objetivo investigar os modos de materialização do PSE nessas escolas, visando apreender como essas áreas, ao se unirem, podem colaborar com aspectos de inclusão social. O percurso metodológico contou com 4 passos: 1. Levantamento bibliográfico com os descritores “saúde e educação” e “programa saúde na escola”; 2. Mapeamento das escolas públicas municipais do município de Contagem; 3. Contato e agendamento com as escolas para desenvolvimento da pesquisa e; 4. Entrevista com equipe pedagógica da instituição. Constatou-se que esse município não implantou o PSE porque tem um programa institucional, denominado de “Articulador Comunitário” (AC), que se aproxima da proposta do PSE. Desse modo, foi necessário buscar outro campo para a pesquisa e foi indicado por dois médicos cubanos, o município de Belford roxo/RJ, local onde eles atuavam. No município carioca foi possível realizar a pesquisa pelas redes sociais e contatos telefônicos. Em Contagem o programa AC possibilitou a melhoria do desempenho dos estudantes, bem como diminuiu o índice de evasão escolar.  Em ambos municípios foi possível perceber que as ações eram unilaterais, se em Contagem era a escola que trabalhava isoladamente a integração, no RJ era a Unidade Básica de Saúde (UBS), que planejava e executava as ações nas escolas.

Biografia do Autor

Maria Adélia Costa, CEFET-MG
Professora no Programa de Pós-graduação Mestrado em Educação Tecnológica (PPGET/CEFET-MG), Chefe do Departamento de Educação (DEDU). Professora no Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes (PEFPD). É graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (UNILESTE), 1992. Possui especialização em Educação de Jovens e Adultos integrada a Educação Profissional e Tecnológica - PROEJA, pelo CEFET-MG, 2006. É Mestre em Educação Tecnológica, CEFET-MG. Concluiu seu doutoramento em Educação na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), na Linha de Pesquisa Trabalho, Educação e Sociedade. Participa do Grupo de Pesquisa Trabalho, Educação e Formação Humana, UFU e no CEFET-MG é integrante dos grupos de pesquisa: "Igualdade e Relações de Gênero em áreas de Ciência e Tecnologia" e "Pesquisa em Teoria e Metodologia do Ensino Tecnológico" (PETMET). Na área de gestão foi Diretora do CEFET-MG Unidade Contagem e Coordenadora Geral de Avaliação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio quando instituiu a comissão de avaliação da EPTNM (CPAEPT). Participa de projetos de extensão que visam a conexão da instituição escolar com a comunidade, seja por meio de minicursos, palestras, oficinas ou trabalhos de assessoria pedagógica. Pesquisa e escreve sobre: organização histórico-sócio-cultural do currículo escolar, educação profissional e tecnológica, formação de professores para a educação profissional e tecnológica, igualdade e relações de gênero nas áreas científicas e tecnológicas.
Publicado
2019-05-02
Como Citar
CostaM. A. O PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA E A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Olhar de Professor, v. 20, n. 2, p. 270-282, 2 maio 2019.
Seção
20(2)