O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

a) Serão aceitos para submissão artigos, resenhas, entrevistas e relatos de experiências inéditos no Brasil.

b) As submissões devem contribuir para o campo específico de investigação, devendo apresentar referencial teórico consistente, argumentação clara e explícita e correção de linguagem. Desta forma, precisam evidenciar potencial e consistência suficiente para servir de referência para estudos na área.

c) Artigos e relatos de experiências deverão ter de 20 a 25 páginas. Resenhas e entrevistas deverão ter entre 4 e 7 páginas. Todos os trabalhos devem ter espaçamento entre linhas 1,5; margens inferior e superior de 2,0 cm e margens direita e esquerda de 2,5 cm; em folha formato A4; preferencialmente com fonte Times New Roman ou Arial.

d) Os textos deverão ser redigidos preferencialmente em língua portuguesa. A revista publicará também textos em francês, inglês e espanhol e, nestes casos, os textos deverão, necessariamente, apresentar o resumo em português.

e) Os artigos deverão trazer um título que corresponda com clareza à ideia geral do trabalho.

f) O resumo deverá ter, no máximo, 10 linhas (150 palavras), contendo informações sobre os objetivos, procedimentos metodológicos, referenciais teóricos e resultados. O resumo deverá apresentar 3 (três) palavras-chave. O resumo deverá ser enviado em língua portuguesa, em inglês e em espanhol. Seguir a norma NBR 6028/03 da ABNT.

g) A revista aceita textos que contenham no máximo 3 autores, sendo que um deles deverá possuir o título de doutor.

h) No caso de artigos elaborados a partir de dissertações e teses, é necessário indicar o nome e titulação do professor orientador.

i) Caso a pesquisa tenha apoio financeiro de alguma instituição, esta deverá ser mencionada.

j) Os trabalhos deverão ser submetidos sem identificação de autoria, via sistema de submissão online. Solicitamos aos autores que, ao submeterem o artigo ou resenha, preencham o cadastro completo (metadados).

k) A estrutura formal dos trabalhos deverão seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) (NBR 6022/2018 para artigos; NBR 6023/2018 para referências; NBR 101520/2012 para citações, optando pelo sistema autor-data).

 

1. Questões éticas

A Olhar de Professor possui um compromisso com o cumprimento de questões éticas relacionadas aos artigos publicados e ao processo de avaliação e publicação. As decisões e procedimentos éticos baseiam-se nos seguintes documentos:

- Resolução CNS nº 466/2012 (Ética na Pesquisa com seres humanos);

- Resolução CNS nº 510/2016 (Ética na Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais);

- Manual da APA (Editora Penso, 2012);

- Documento do CNPq – Ética e integridade na prática científica (http://www.memoria.cnpq.br/normas/lei_po_085_11.htm).

- Documento Ética e Pesquisa em Educação - v. 1 (Anped). (http://www.anped.org.br/news/comissao-da-anped-apresenta-documento-etica-e-pesquisa-em-educacao-subsidios)

 

2 – Quanto aos artigos

- Caso o artigo tenha sido submetido à Comitê de Ética (sistema CEP/CONEP ou outro sistema), solicitamos aos autores que mencionem no corpo do artigo (por exemplo, em nota de rodapé).

- Os editores, na análise preliminar, buscam identificar os cuidados éticos utilizados na pesquisa e solicitam aos avaliadores que também o façam.

- Caso o projeto de pesquisa que deu origem ao artigo não tenha sido submetido a Comitê de Ética, recomenda-se que os autores incluam, no artigo, uma seção sobre ética na pesquisa (autodeclaração de princípios e procedimentos éticos, conforme Mainardes e Carvalho, 2019, disponível em: http://www.anped.org.br/news/comissao-da-anped-apresenta-documento-etica-e-pesquisa-em-educacao-subsidios).

- Pesquisas realizadas com grupos considerados em situação de vulnerabilidade necessitam especial atenção com relação aos cuidados éticos, tanto na produção dos dados, interação com os sujeitos e análise e disseminação de resultados. Entre grupos considerados como potencialmente em situação de vulnerabilidade, destacamos: crianças, pessoas com deficiências/necessidades especiais, idosos, famílias em situação de vulnerabilidade social ou risco psicossocial, pessoas em instituições de longa permanência, entre outros. 

 

3 – Quanto a autoria

A revista recomenda que os autores e coautores discutam abertamente a ordem de autoria e os coautores a serem incluídos no artigo. Os autores devem ter em mente os itens 17 e 20 do documento do CNPq (Ética e integridade na prática científica): 17 - Somente as pessoas que emprestaram contribuição significativa ao trabalho merecem autoria em um manuscrito; 20 - Os autores devem ser capazes de descrever, quando solicitados, a sua contribuição pessoal ao trabalho.

 

4 – Plágio e autoplágio

A editoria da revista pode utilizar sistema de programa de controle de plágio, antes de enviar artigos para os avaliadores.

Antes de submeter o artigo, os autores devem certificar-se de que todas as ideias de outros autores estão devidamente citadas e incluídas na lista de referências.

Com relação ao autoplágio, indicamos que o artigo deve constituir-se em contribuição original e citações de trabalhos anteriores do autor devem ser citadas quando necessárias para a compreensão do artigo inédito no que se refere a teoria ou metodologia (conforme Manual da APA).

 

5 – Processo de avaliação

- Durante o processo de revisão, o artigo submetido é entendido como um documento confidencial (Manual da APA). Os editores e avaliadores não podem citar ou circular cópias dos artigos para nenhum propósito (Manual da APA).

- Só serão avaliados artigos devidamente inseridos no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER). Do mesmo modo, todos os processos de avaliação só serão considerados válidos se forem realizados via esse sistema.

- Todos os artigos serão avaliados por dois pareceristas. No caso de pareceres contraditórios, serão solicitados outros pareceres.

- As datas de submissão de artigos, data de recebimento da versão final e data de aceite serão extraídas do SEER, sendo vedada qualquer alteração.

- No caso das chamadas de artigos para dossiês, a revista obedecerá todos os itens citados na chamada.

Artigos

Insira aqui a política desta seção

Didática e Práticas de Ensino: concepções, formação de professores e organização do trabalho escolar

O caderno temático busca estimular a reflexão sobre o conhecimento produzido e sistematizado no campo da didática e das práticas de ensino, de forma dialogada com a formação de professores e a escola.

Também, aprofundar análises sobre a didática e as práticas de ensino em suas relações com os demais campos de conhecimento e ampliar a compreensão das práticas e das teorias de processo de ensino na escola.

 

Terceira Idade e Educação de Jovens e Adultos

O presente caderno temático tem por objetivo ampliar as discussões sobre os processos educativos que contemplem o público idoso, seja em espaços formais ou não formais, preferencialmente com artigos que sejam provenientes de pesquisas desenvolvidas no Brasil e no contexto ibero-americano.

Atualmente há mais de 26 milhões de idosos no Brasil, o que representa não apenas 13% da população, mas também a necessidade de políticas públicas e ações efetivas para este segmento. Desta maneira, uma das ações que repercute significativamente para a melhoria da qualidade de vida e inserção social do idoso, é a educação.

Por meio de ações voltadas exclusivamente para este grupo etário, se desenvolve um processo educacional pautado nos princípios da extensão universitária e da educação permanente, que visam desde a alfabetização até a formação continuada, por meio de cursos de atualização. 

Neste contexto, refletir sobre a educação para a terceira idade não finda-se apenas na demanda de uma população crescente ou na prescrição legal (Estatuto do Idoso, Lei 10741/03), mas na compreensão de que o sujeito idoso tem capacidade de aprender e desenvolver-se, respeitando sua identidade e seu contexto sociocultural. Assim, educação para a terceira idade não se limita ao processo de como ensinar o idoso, mas de como a população em geral entende quem é este sujeito e respeita o seu espaço e o seu processo de aprendizagem.

Caderno Temático Estágio Curricular de Docência na Educação Infantil: Perspectivas e Práticas

O estágio de docência na Educação Infantil vem se constituindo como privilegiado espaço de articulação teórico-prática, mas também, como lugar no qual se dá sentido ao ser professor na relação com crianças. Essa aproximação permite aos acadêmicos do Curso de Pedagogia uma retomada dos conhecimentos construídos ao longo do curso de formação inicial que auxiliam a pensar a criança, a instituição educativa e as práticas pedagógicas observadas e vividas. O estágio, assim, torna-se uma possibilidade de reflexão e experiência, lugar de conhecimento, diálogo e constituição de identidade profissional. Neste sentido, o estágio produz eco e transforma tanto o professor em formação, quanto a criança, tendo alcance no cotidiano da Educação Infantil, cotidiano este que inspira, instiga e se modifica pela relação do acadêmico com as crianças, as professoras e com as práticas pedagógicas.

Assim, a proposta deste Dossiê tem por referência o estágio curricular para a docência na educação infantil, cuja reflexão possa trazer artigos e experiências de pesquisa que pautem o debate em torno das perspectivas teórico-práticas que o fundamentam, bem como das práticas exitosas que levam à constituição de novas abordagens do estágio nos cursos de formação inicial para a docência na primeira etapa da Educação Básica.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.