PSICOLOGIA, LITERATURA E SAÚDE MENTAL

  • Fabio Scorsolini-Comin Universidade de São Paulo
  • Luan Felipe de Souza Junqueira Universidade de São Paulo

Resumo

As relações entre Psicologia e Literatura têm sido discutidas nos meios acadêmicos, sobretudo, a partir de um interesse em problematizar como a natureza humana pode ser descrita e compreendida não como se fosse um objeto exclusivo de um dado campo, mas como um elemento capaz de produzir reflexões que atravessam áreas, o que deveria promover como efeito a aproximação das mesmas e não o afastamento, como observamos na ciência contemporânea e na própria formação em saúde. A partir dessa lacuna, o objetivo deste estudo teórico é refletir sobre as possíveis aproximações entre Psicologia e literatura, tendo como campo de aplicação a saúde mental. O referencial adotado para tal reflexão é o da psicanálise, sobretudo a partir das contribuições do psicanalista inglês D. W. Winnicott. A partir de conceitos disparadores como os de identificação, objeto transicional e o brincar, problematiza-se como a leitura, a escrita e o contato com a literatura podem ser ferramentas terapêuticas potentes para o amadurecimento emocional. No campo da formação em saúde, em que pese o distanciamento dos profissionais de áreas como a literatura, recomenda-se que a retomada desse contato pode ser importante no sentido da promoção de um cuidado mais humanizado.

Biografia do Autor

Luan Felipe de Souza Junqueira, Universidade de São Paulo

Psicólogo. Mestre em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Enfermagem Psiquiátrica da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. 

Publicado
2021-07-30