É PRECISO MAIS QUE BARRO PARA CONSTRUIR UM HOMEM: A IDENTIDADE DO PERSONAGEM MASCULINO NO CONTO “A MENSAGEM”, DE CLARICE LISPECTOR

  • Leandro Lopes Soares Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Maria Eliane Souza da Silva UERN/ PPGL/ CAPF
  • Maria Edileuza da Costa UERN/ PPGL/ CAPF

Resumo

Para poder escrever, a mulher teve de batalhar para conquistar o direito de escrita e representar a si mesma de seu próprio ponto de vista. Conquistado esse direito, a mulher escritora passou a retratar também homens como personagens de seus romances, novelas, contos, crônicas e poemas; entre estas que se aventuraram nesse desafio, destacamos Clarice Lispector. Com uma vasta bibliografia acerca de sua obra, principalmente sobre a personagem feminina, propomos um estudo voltado para uma vertente pouco discutida da literatura lispectoriana: o personagem masculino. Nesse ensejo, destacamos, como objetivo maior, analisar o personagem masculino do conto “A mensagem”, de A legião estrangeira (1999) para entender como sua identidade é construída transpassada por condutas exigidas ao homem na sua juventude. À luz dos estudiosos da masculinidade, como Nolasco (2001), Oliveira (2004), Bourdieu (2016), entre outros, e da identidade (BAUMAN, 2005; HALL, 2015), nossa leitura aponta para uma representação masculina inscrita numa realidade ambígua, que, por vezes, ressalta traços hegemônicos de sua masculinidade, e, em outras, afasta-se, trazendo a lume a fragilidade humana, que independe do gênero.

Biografia do Autor

Maria Eliane Souza da Silva, UERN/ PPGL/ CAPF

 Professora Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do norte. E-mail: mariaeliane28@hotmail.com

Maria Edileuza da Costa, UERN/ PPGL/ CAPF

Professora Doutora em Letras pela Universidade Federal da Paraíba, UFPB. E-mail: edileuzacostauern@gmail.com

Publicado
2021-04-01
Seção
Dossiê Centenário de Clarice Lispector: vida, obra e recepção crítica