Efeitos de sentido e da memória no discurso sobre a redação do novo ENEM – uma análise dos guias do participante

  • Liana Cristina Giachini Laboratório Corpus - Universidade Federal de Santa Maria

Resumo

RESUMO: Este artigo toma como objeto de pesquisa o discurso sobre a língua nas matrizes de referência para avaliação da redação do Exame Nacional do Ensino Médio. À luz da Análise do Discurso franco-brasileira, realizamos a análise documental das edições de 2012 e 2013 dos documentos oficiais “A redação no ENEM: guia do participante”, disponibilizados pelo INEP aos participantes da prova. Em nossa investida analítica, procuramos compreender os efeitos de sentido sobre a língua neste corpus, problematizando as relações que ele mantém com os saberes linguísticos e a história do ensino de Língua Portuguesa, especialmente no que concerne aos processos seletivos de ingresso no ensino superior. Neste gesto de leitura, compreendemos que os Guias são permeados por ressonâncias discursivas de diversos saberes linguísticos, formulados numa tentativa de produzir efeitos de rompimento, mas que - pelo efeito da memória - deixam entrever as amarras e o controle da norma.

Biografia do Autor

Liana Cristina Giachini, Laboratório Corpus - Universidade Federal de Santa Maria
Liana Cristina Giachini é doutora em Letras - Estudos Linguísticos -, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), onde faz parte do grupo de pesquisa Linguagem Sentido e Memória, vinculado ao Laboratório Corpus do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria. No referido grupo, aporta reflexões teóricas e analíticas sobre a relação sujeito e língua no desenvolvimento do projeto de pesquisa: A produção de sentidos a partir da relação língua, sujeito e história: a circulação do conhecimento linguístico. Concluiu o mestrado em Estudos Linguísticos na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), na área de "Práticas discursivas e subjetividade", é graduada em Letras Português-Inglês, pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2003) e especialista em Comportamento Humano nas Organizações (UNOESC, 2006). Tem experiência na Coordenação Pedagógica, coordenação de cursos, seleção, contratação e treinamento de professores, além de contar com mais de 15 anos de atuação como professora de Língua Portuguesa, Leitura e Produção de Textos para Ensino Fundamental, Ensino Médio, Superior, Pré-vestibular e Séries Iniciais. Atualmente, atua como coordenadora psicopedagógica do Colégio Marista São Francisco.
Publicado
2020-03-19
Seção
A linguagem nos processos seletivos para ingresso no ensino superior