Márcia Wayna Kambeba: um mergulho entre as margens do rio

Resumo

Este artigo apresenta uma análise do livro Ay kakyri Tama: eu moro na cidade, de Márcia Wayna Kambeba, considerando os embates socioculturais decorrentes dos deslocamentos das nações indígenas e do contato com os demais membros da sociedade. Por isso, esta pesquisa tem como objetivo observar como a identidade migrante da autora indígena se manifesta na elaboração da obra literária. O quadro teórico é formado pelos estudos de autores como Leonor Arfuch, Antonio Cornejo-Polar, Néstor García Canclini, Graça Grauna, Ailton Krenak e Darcy Ribeiro. Compreende-se que há uma necessidade de abertura para possibilidades diferentes de entender a produção literária indígena no seu aspecto formal e de conteúdo, pois é uma escrita que surge no entre-lugar.

Biografia do Autor

Adriana de Oliveira Alves Corrêa, Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)
Mestre em Teoria Literária e Crítica da Cultura pela Universidade Federal de São João del-Rei (2017), com Bolsa CAPES. Especialista em Literatura pela Universidade de Taubaté (2011) e Graduada em Letras (Português e respectivas literaturas) pela mesma instituição. Suas pesquisas são centradas no estudo de indivíduos socialmente marginalizados, sobretudo no estudo da Literatura e Cultura Indígena.
Publicado
2020-03-19