A folkcomunicação imagética de Sebastião Salgado no retrato de políticas sociais e ambientais

  • Denis Porto Renó Universidade Estadual Paulista
  • Lívia Maria de Oliveira Furlan Universidade de São Paulo

Resumo

O discurso folkcomunicacional é amplamente diversificado. Afinal, ela se estabelece onde e quando os grupos marginalizados têm necessidade de voz. Entretanto, quando se pensa em folkcomunicação, tende-se a projetar tais discursos a manifestações tradicionalmente populares. Por isso, desenvolvemos este artigo, que tem como objetivo posicionar a fotorreportagem como um discurso folkcomunicacional, colocando o fotógrafo como agente folk. Para tanto, analisamos o contrato de leitura de Sebastião Salgado em duas de suas obras - Êxodos e Gênesis -, com um cariz formativo e reflexivo sobre o fotógrafo. Espera-se, com a conclusão deste artigo, que novos olhares sejam lançados aos fotorrepórteres, que ocupam através da imagem a função de tradutor do povo.

Biografia do Autor

Denis Porto Renó, Universidade Estadual Paulista

Jornalista, livre-docente em Ecologia dos Meios e Jornalismo Imagético, possui doutorado em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo. É professor associado da Universidade Estadual Paulista - UNESP. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Lívia Maria de Oliveira Furlan, Universidade de São Paulo

Jornalista. Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Estadual Paulista - UNESP - campus Bauru. Tem graduação em Jornalismo pela Universidade de Ribeirão Preto - UNAERP.

Publicado
2021-12-23
Como Citar
RENÓ, D. P.; FURLAN, L. M. DE O. A folkcomunicação imagética de Sebastião Salgado no retrato de políticas sociais e ambientais. Revista Internacional de Folkcomunicação, v. 19, n. 43, p. 303-317, 23 dez. 2021.