O papel do afeto parental no desenvolvimento psíquico infantil (The role of parental affection in children´s psychic development)

Conteúdo do artigo principal

Debora Rickli Fiuza
Fabiola Bini Belin
Luana Lustoza

Resumo

Estudos sobre o desenvolvimento infantil têm sido percorrido ao longo da história até a contemporaneidade, compreendendo a necessidade de entender e atuar nas diferentes áreas que envolvem à infância e à família. Este trabalho apresenta uma análise sobre as funções do afeto parental no desenvolvimento psíquico infantil, necessidade que surgiu a partir dos atendimentos às famílias da comunidade pelo setor de Psicologia do Núcleo de Estudos e Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude (NEDDIJ) da cidade de Guarapuava/PR, onde foi observado conteúdos referentes a temática do abandono afetivo. O artigo tem como metodologia um levantamento bibliográfico e análise de documentos, os quais permitiram compreender que o desenvolvimento da criança se constitui de maneira saudável por meio do contato e da presença do afeto parental, sendo este essencial tanto para a sobrevivência da criança, como também para a construção de sua estrutura psíquica e social.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Rickli Fiuza, D. ., Bini Belin, F. ., & Lustoza, L. (2022). O papel do afeto parental no desenvolvimento psíquico infantil (The role of parental affection in children´s psychic development). Emancipação, 22, 1–15. https://doi.org/10.5212/Emancipacao.v.22.2216515.003
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Debora Rickli Fiuza, Universidade Estadual do Centro Oeste - Unicentro

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, da Universidade Estadual do Centro-Oeste (PPGDC-UNICENTRO). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário (PPGDC-UNICENTRO). Psicológa (UNICENTRO). Professora do Centro Universitário Campo Real. E-mail: debora_rickli@yahoo.com.br.

Fabiola Bini Belin, Universidade Estadual do Centro Oeste - Unicentro

Graduanda em Psicologia pelo Centro Universitário Campo Real da cidade de Guarapuava. E-mail: fabiolabinibelin@gmail.com

Luana Lustoza, Universidade Estadual do Centro Oeste - Unicentro

Bacharel em Psicologia pela Faculdade Guairacá (2016) Bolsista de Extensão no Núcleo de Estudos e Defesa dos Direitos da Infância e Juventude – NEDDIJ – Programa Universidade Sem Fronteiras. E-mail: luana.lustoza@hotmail.com.

Referências

ALVES, Z. M. M. B. Famílias brasileiras do século XX: os valores e as práticas de educação da criança. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 5, n. 3, dez. 1997. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X1997000300005. Acesso em: 25 nov. 2021.

BENCZIK, E. B. P. A importância da figura paterna para o desenvolvimento infantil. Revista Psicopedagogia, São Paulo, v. 28, n. 85, 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862011000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 25 nov. 2021.

BIASUTTI, Carolina M. Parentalidade em casos de adoção monoparental. 2016. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2016. p. 19-27. Disponível em: https://repositorio.ufes.br/bitstream/10/9047/1/tese_8628_2017.05.09%20-%20DISSERTA%c3%87%c3%83O%20CAROLINA%20BIASUTTI.pdf. Acesso em: 25 nov. 2021.

BÖING, E.; CREPALDI, M. A. Os efeitos do abandono para o desenvolvimento psicológico de bebês e a maternagem como fator de proteção. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 21, n. 3, p. 211-226. dez. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/estpsi/a/dV6NyRhFbzkY8xvkh87mCXR/?lang=pt#. Acesso em: 25 nov. 2021.

BRAGA, J. C. O.; FUKS, B. B. Indenização por abandono afetivo: a judicialização do afeto. Tempo psicanalítico. Rio de Janeiro, v. 45, n. 2, p. 303-321, dez. 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-48382013000200005&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 25 nov. 2021.

BRASIL. Lei no 8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 25 nov. 2021.

CARNUT, L.; FAQUIM, J. Conceitos de família e a tipologia familiar: aspectos teóricos para o trabalho da equipe de saúde bucal na estratégia de saúde da família. Saúde animal, teoria e ações de vigilância na Atenção Primária à Saúde. v. 5, n. 1, abr. 2014. Disponível em: https://www.jmphc.com.br/jmphc/article/view/198. Acesso em: 25 nov. 2021.

CIA, F.; WILLIAMS, L. C. A.; AIELLO, A. L. R. Influências paternas no desenvolvimento infantil: revisão da literatura. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 9, n. 2, p. 225-233, dez. 2005. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572005000200005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 25 nov. 2021.

CRUZ, O. Que parentalidade?. Centro de Estudos Judiciários. Lisboa, p. 101-135, nov. 2014. Disponível em: http://www.cej.mj.pt/cej/recursos/ebooks/familia/Tutela_Civel_Superior_Interesse_Crianca_TomoIII.pdf. Acesso em: 25 nov. 2021.

FERREIRA, A. B. H. Miniaurélio Século XXI Escolar: o minidicionário da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

GORIN, M. C. et al. O estatuto contemporâneo da parentalidade. Revista da SPAGESP. Ribeirão Preto, v. 16, n. 2, p. 3-15, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702015000200002. Acesso em: 25 nov. 2021.

GRZYBOWSKI, L. S.; Wagner, A. O Envolvimento Parental Após a Separação/Divórcio. Psicologia: Reflexão e Crítica. Porto Alegre, v. 23, n. 2, p. 289-298, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/prc/a/z9Hyyhx4nc8Mz4bWSVbn6Vj/abstract/?lang=pt. Acesso em: 25 nov. 2021.

IACONELLI, V. Criar filhos no século XXI. 1. Ed. São Paulo: Contexto, 2019.

IACONELLI, V. Dossiê – Parentalidade e vulnerabilidades. Revista Cult. São Paulo, n. 251, nov. 2019. Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/dossie-parentalidade-e-vulnerabilidades/. Acesso em: 25 nov. 2021.

KASPER, B. W.; KRIEGER, M. A. Consequências do abandono afetivo. Páginas de direito. Porto Alegre, n. 1241, mai. 2015. Disponível em: https://www.paginasdedireito.com.br/artigos/305-artigos-mai-2015/7137-consequencias-do-abandono-afetivo. Acesso em: 25 nov. 2021.

LEME, V. B. R.; MARTUNARO, E. M. Preditores de Comportamentos e Competência Acadêmica de Crianças de Famílias Nucleares, Monoparentais e Recasadas. Psicologia: Reflexão e Crítica. Porto Alegre, v. 27, n. 1, p. 153-162, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/prc/a/KwsCfFRRrFPXBgrLwWVtsgg/abstract/?lang=pt. Acesso em: 25 nov. 2021.

MANFROI, E. C.; MASCARINI, S. M.; VIEIRA, M. L. Comportamento parental e o papel do pai no desenvolvimento infantil. Rev. Bras. Crescimento e Desenvolv. Hum. São Paulo, v. 21, n. 1, p. 59-69, 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12822011000100007. Acesso em: 25 nov. 2021.

MONDARDO, A. H.; VALENTINA, D. D. Psicoterapia infantil: ilustrando a importância do vínculo materno para o desenvolvimento da criança. Psicologia: Reflexão e Crítica. Porto Alegre, v. 11, n. 3, p. 621-630, 1998. Disponível em: https://www.scielo.br/j/prc/a/5xPGHfXtTNCpDDFrW4f9qSz/abstract/?lang=pt. Acesso em: 25 nov. 2021.

NUSKE, J. P. F.; GRIGORIEFF, A. G. Alienação parental: complexidades despertadas no âmbito familiar. Pensando família. Porto Alegre, v. 19, n. 1, p. 77-87, jun. 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/penf/v19n1/v19n1a07.pdf. Acesso em: 25 nov. 2021.

PIANA, M. C. A construção da pesquisa documental: avanços e desafios na atuação do serviço social no campo educacional. São Paulo: UNESP, 2009. Disponível em: https://books.scielo.org/id/vwc8g/pdf/piana-9788579830389-05.pdf. Acesso em: 25 nov. 2021.

SANTOS, S. P. Consequências psicológicas e jurídicas do abandono afetivo. Conteúdo Jurídico. Brasília, nov. 2017. Disponível em: http://www.conteudojuridico.com.br/consulta/Artigos/51067/consequencias-psicologicas-e-juridicas-do-abandono-afetivo. Acesso em: 25 nov. 2021.

SOARES, S. V.; et al. Pesquisa Bibliográfica, Pesquisa Bibliométrica, Artigo de Revisão e Ensaio Teórico em Administração e Contabilidade. Administração: Ensino e Pesquisa. Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 308-339, mai/ago. 2018. Disponível em: https://raep.emnuvens.com.br/raep/article/view/970/pdf_1. Acesso em: 25 nov. 2021.

ZORNIG, S. M. A. Tornar-se pai, tornar-se mãe: o processo de construção da parentalidade. Tempo psicanalítico. Rio de Janeiro, v. 42, n. 2, p. 453-470, jun. 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-48382010000200010. Acesso em: 25 nov. 2021.