Vigilância e segurança pública: preconceitos e segregação social ampliados pela suposta neutralidade digital (Surveillance and public security: prejudices and social segregation widened by the alleged digital neutrality)

Conteúdo do artigo principal

Pedro Fauth Manhães Miranda
http://orcid.org/0000-0002-0455-9974
Camila Berlim Schneider
http://orcid.org/0000-0003-2858-9622

Resumo

O presente artigo busca demonstrar como as novas implementações algorítmicas, alegadamente imparciais, acentuam a discriminação e os preconceitos por meio de mecanismos de vigilância. Quando as informações pessoais sobre a população são aplicadas no desenvolvimento de tecnologias de inteligência artificial, em uma sociedade já marcada pela seletividade, as consequências podem ser catastróficas. O ponto de partida é dado pela análise sobre vigilância, atualizada por Zygmunt Bauman, descrevendo como a sociedade da informação se delineou e ganhou a forma que possui hoje. Na sequência, por meio de revisão bibliográfica consubstanciada via método dedutivo, é possível observar que em países onde há permanente sensação de insegurança e a discriminação racial se institucionalizou, o uso pouco transparente de algoritmos preditivos, em especial pela justiça criminal, provoca efeitos negativos na eficácia das políticas públicas, fazendo cada vez mais vítimas e acentuando disparidades, ao invés de promover segurança.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Miranda, P. F. M., & Schneider, C. B. (2020). Vigilância e segurança pública: preconceitos e segregação social ampliados pela suposta neutralidade digital (Surveillance and public security: prejudices and social segregation widened by the alleged digital neutrality). Emancipação, 20, 1–22. https://doi.org/10.5212/Emancipacao.v.20.2014258.022
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Pedro Fauth Manhães Miranda, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR / UNISECAL.

Doutorando em Direito na Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR; Mestre em Ciências Sociais Aplicadas na Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG; Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Londrina - UEL; Graduando em Ciência Política pelo Centro Universitário Internacional - UNINTER. Professor de Direito no Centro Universitário Santa Amélia – UNISECAL. E-mail: pedromiranda.adv@gmail.com.

Camila Berlim Schneider, Centro Universitário Santa Amélia - UNISECAL

Graduanda em Direito pelo Centro Universitário Santa Amélia - UniSecal; Mestre em Engenharia e Ciência dos Materias pela Universidade Federal do Paraná - UFPR; Graduada em Física pela Universidade Federal do Paraná – UFPR. E-mail: camibs88@gmail.com.