ORQUIDÁRIO: UMA ABORDAGEM PARA PROMOVER A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS E SENSIBILIZAR SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Resumo

Este trabalho teve como objetivo estimular a aprendizagem no ensino de Ciências mediante a atividade extensionista de aplicação dos conhecimentos botânicos, ecológicos e ambientais na comunidade, abordando sobre o cultivo de orquídeas e estimulando a valorização da flora amazônica e a reflexão sobre conservação ambiental. O projeto foi realizado em uma turma de 7º ano do Ensino Fundamental, em uma Escola Municipal da rede pública no município de Coari, Amazonas, Brasil. A avaliação do projeto foi realizada por meio da aplicação de questionário inicial e final. A intervenção seguiu as seguintes etapas: 02 (duas) aulas teóricas sobre a temática; palestra sobre preservação ambiental; confecção de um jornal didático; oficina de cultivo e manutenção de orquídeas e exposição de algumas espécies de orquídeas. Os resultados mostraram que antes da realização das atividades os próprios alunos reconheceram o pouco entendimento sobre preservação ambiental. As atividades realizadas abordando os conhecimentos botânicos, ecológicos, preservação e valorização da flora regional proporcionaram um contato direto com a vivência prática dos assuntos que foram estudados na sala de aula.

Biografia do Autor

Klenicy Kazumy de Lima Yamaguchi, Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Coari - AM, Brasil. Doutorado em Química.
Erivaldo Almeida de Souza Filho, Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Aluno de Graduação da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Coari - AM, Brasil. 
Macélia dos Santos Moraes, Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Coari - AM, Brasil. Especialização em Metodologia do Ensino de Biologia e Química.

Referências

BARBOSA, T. J. V. et al. Atividades de ensino em espaços não formais amazônicos: um relato de experiência integrando conhecimentos botânicos e ambientais. Revista brasileira de educação ambiental. São Paulo, v. 11, n 4, p.174-183, 2016. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/ede5/f5d3bbcf01c3cca8f16c789f5abdc4bbb4df.pdf

BRASIL. Lei Federal n 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, DF. Ministério do Meio Ambiente/MEC, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: ciências naturais/Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília:MEC/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro04.pdf

FILHO, M. V. C. et al. Repensando o extrativismo vegetal a partir de uma prática educativa com orquídeas. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.11, n.2, p. 2754, 2015. Disponível em: http://docplayer.com.br/59482483-Repensando-o-extrativismo-vegetal-a-partir-de-uma-pratica-educativa-com-orquideas.html

LEMOS, G. N.; MARANHÃO, R. R. O Viveiro Educador como espaço para a Educação Ambiental. Revista Ambientalmente Sustentable, v. 2, n. 6, p. 173-190, 2008.

NEUMANN, S. et al. Educação Ambiental no Ensino Fundamental: plantando sementes, colhendo consciência. Poíesis Pedagógica, Catalão-GO, v. 16, n.1, p. 26-43, jan./jun. 2018. Disponível em: https://www.revistas. ufg.br/poiesis/article/download/37350/26741

NONCIBONI, M. L. P.; ROYER, M. R. Orquidário Natural: uma ferramenta para educação ambiental. In: O Professor PDE e os Desafios da Escola Pública Paraense. Volume I, 2010. Disponível em: http://www.diaadia educacao.pr.gov/portals/caderno/pdebusca/producoes_pde/2010/ 2010

OLIVEIRA, A. L. et al. Educação ambiental: concepções e práticas de professores de ciências do ensino fundamental. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 6, n.3, p.471-495, 2007. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen6/ART1_Vol6_N3.pdf

PELUZIO, L. E.; SOARES, M. N. Orquídeas: porta aberta para a Educação ambiental. 2008. Disponível em: http://www.coluni.ufv.br/ revista-antiga/docs/volume01/orquideas.pdf .

RAPOSO, J. G. A etimologia a serviço dos orquidófilos. São Paulo, v.1, ed. Ave-Maria, 1992.

SAUVÉ, L. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa. Revista da Faculdade de Educação da USP, v. 31, n. 2, p. 317 – 322, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n2/a07v31n2.pdf

SILVA, M. M. P.; LEITE, V. D. Estratégias para realização de educação ambiental em Escolas do ensino fundamental. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental v. 20, 2008. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3855/2299

SILVA, J. N.; LOPES, N. P. G. Botânica no Ensino Fundamental: diagnóstico de dificuldades no ensino e da percepção e representação da biodiversidade vegetal por estudantes. Revista Eletrônica de Ensenanza de lãs Ciências, v. 13, n. 12, p. 115-136, 2014.

STORTI, E. F. et al. Biologia reprodutiva de Cattleya eldorado, uma espécie de Orchidaceae das campinas amazônicas. Acta Amazonica, vol. 41, n.3, p. 361 - 368, 2011.

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0044-59672011000300005

Publicado
2020-05-07