ANÁLISE HEMEROGRÁFICA DA PROMOÇÃO DA SAÚDE NA DIVULGAÇÃO ON-LINE DO PROJETO “PRAIA SEM BARREIRAS”

Resumo

Promover a saúde de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida a diferentes espaços públicos representa um desafio para a formação dos estudantes de graduação. O presente estudo objetivou caracterizar os temas de Promoção da Saúde relacionados à divulgação midiática on-line sobre o Projeto “Praia sem Barreiras”. Trata-se de uma análise documental hemerográfica de 185 notícias on-line, cujos conteúdos foram analisados na modalidade temática e lexical. O corpus final foi composto por 44 notícias on-line e resultou em cinco categorias principais, a saber: “ênfase na inclusão social”, “prestação de serviços de saúde e lazer”, “construção de ambientes relacionais e adaptativos”, “utilização de tecnologias assistivas” e “criação de oportunidades equitativas”. Evidenciaram-se ações de promoção da saúde de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida com foco no acesso às praias por meio de parceria universitária interdisciplinar e intersetorial.

Biografia do Autor

Alfredo Almeida Pina-Oliveira, Universidade Universus Veritas Guarulhos - UNIVERITAS-UNG
Professor da Universidade Universus Veritas Guarulhos (UNIVERITAS-UNG), Guarulhos - SP, Brasil. Doutorado em Enfermagem em Saúde Pública.
Mateus Amaral Silva, Universidade Universus Veritas Guarulhos - UNIVERITAS-UNG
Aluno da Universidade Universus Veritas Guarulhos (UNIVERITAS - UNG), Guarulhos - SP, Brasil.
Vanessa Conceição da Silva, Universidade Universus Veritas Guarulhos - UNIVERITAS-UNG
Aluna de Graduação em Enfermagem da Universidade Universus Veritas Guarulhos (UNIVERITAS - UNG), Guarulhos - SP, Brasil.
Fellipe Eugênio Soares Miranda, Universidade Universus Veritas Guarulhos - UNIVERITAS-UNG
Aluno de Mestrado da Universidade Universus Veritas Guarulhos (UNIVERITAS-UNG), Guarulhos - SP, Brasil.
Fabiana Gonçalves de Melo Cahú, Universidade Universus Veritas Guarulhos - UNIVERITAS-UNG
Professora do Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU), Recife - PE, Brasil. Mestrado em Enfermagem.

Referências

ASHBULLBY, K. J. et al. The beach as a setting for families’ health promotion: a qualitative study with parents and children living in coastal regions in Southwest England. Health & Place, v. 23, p. 138–147, 1 set. 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2016.

BARSAGLINI, R. A. et al. Compaixão, piedade e deficiência física: o valor da diferença nas relações heterogêneas. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 22, n. 3, p. 781–796, set. 2015.

BELO, A. Z. V. A.; MENDES, M. I. B. DE S. Être à la plage dans un fauteuil: un nouveau corps propre. Recherches & Educations, n. HS, p. 153–167, 1 maio 2017.

BRASIL. Viver sem Limite – Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD), 2013.

BRASIL. Resolução No 510, de 07 de abril de 2016. Brasília: [s.n.]. Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/reso510.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2019.

BRASIL. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília: [s.n.]. Disponível em: . Acesso em: 2 abr. 2019.

CARRAPATO, P.; CORREIA, P.; GARCIA, B. Determinante da saúde no Brasil: a procura da equidade na saúde. Saúde e Sociedade, v. 26, n. 3, p. 676–689, set. 2017.

CIANTELLI, A. P. C.; LEITE, L. P. Ações exercidas pelos Núcleos de Acessibilidade nas Universidades Federais brasileiras. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 3, p. 413–428, set. 2016.

CRONIN-DE-CHAVEZ, A.; ISLAM, S.; MCEACHAN, R. R. C. Not a level playing field: a qualitative study exploring structural, community and individual determinants of greenspace use amongst low-income multi-ethnic families. Health & Place, v. 56, p. 118–126, 1 mar. 2019.

GOMES, A. E. G.; REZENDE, L. K.; TORTORELLI, M. F. P. Acessibilidade e deficiência: Análise de documentos normativos. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, v. 10, n. 1, 19 mar. 2018.

KERR, J. L.; DATTILO, J.; O’SULLIVAN, D. Use of recreation activities as positive coping with chronic stress and mental health outcomes associated with unemployment of people with disabilities. Work (Reading, Mass.), v. 43, n. 3, p. 279–92, 2012.

MACHADO, W. C. A. et al. INTEGRALIDADE NA REDE DE CUIDADOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Texto & Contexto - Enfermagem, v. 27, n. 3, 27 ago. 2018.

MAZZOTTA, M. J. DA S.; D’ANTINO, M. E. F. Inclusão social de pessoas com deficiências e necessidades especiais: cultura, educação e lazer. Saúde e Sociedade, v. 20, n. 2, p. 377–389, jun. 2011.

MOSHREFZADEH, A. et al. A content analysis of media coverage of the introduction of a smoke-free bylaw in Vancouver Parks and Beaches. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 10, n. 9, p. 4444–4453, 18 set. 2013.

NASCIMENTO, A. R. A. DO; MENANDRO, P. R. M. Análise lexical e análise de conteúdo: uma proposta de utilização conjugada. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 6, n. 2, p. 72–88, 2006.

NUNES, S. DA S. et al. Educação Inclusiva: entre a História, os preconceitos, a escola e a família. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 35, n. 4, p. 1106–1119, dez. 2015.

O’BRIEN, B. C. et al. Standards for Reporting Qualitative Research. Academic Medicine, v. 89, n. 9, p. 1245–1251, set. 2014.

PINA-OLIVEIRA, A. A.; CHIESA, A. M. Boaventura de Sousa Santos e suas contribuições para a extensão universitária no século XXI. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, v. 13, n. 23, p. 3–15, 30 set. 2016.

PINHEIRO, D. G. M. et al. Competências em Promoção da Saúde: desafios da formação. Saúde e Sociedade, v. 24, n. 1, p. 180–188, mar. 2015.

RECIFE. Praia sem Barreira: Prefeitura do Recife. Disponível em: <http://www2.recife.pe.gov.br/servico/praia-sem-barreira>. Acesso em: 7 set. 2019.

SANTOS, W.; SANTOS, W. Deficiência como restrição de participação social: desafios para avaliação a partir da Lei Brasileira de Inclusão. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 10, p. 3007–3015, out. 2016.

SCHULLER, J. A. DE P. et al. O projeto de extensão “Capacitação de tutoria em natação adaptada”. Revista Conexão UEPG, v. 14, n. 2, p. 229–234, 30 abr. 2005.

SEIBEL, E. J. Metodologia para pesquisa hemerográfica. Disponível em: <http://nipp.ufsc.br/pesquisas/tecnicas-de-pesquisa-nipp/pesquisa-hemerografica/>. Acesso em: 14 jan. 2019.

SINCLAIR, L. B. et al. Considering disability and health: Reflections on the Healthy People 2020 Midcourse Review. Disability and Health Journal, v. 11, n. 3, p. 333–338, jul. 2018.

SOUZA, F. N. DE. Internet: florestas de dados ainda por explorar. Internet Latent Corpus Journal, v. 1, n. 1, p. 2–4, 2010.

TAYLOR, P.; SAHEB, R.; HOWSE, E. Creating healthier graduates, campuses and communities: Why Australia needs to invest in health promoting universities. Health Promotion Journal of Australia, 13 maio 2018.

VIANA, A. L. D’ÁVILA; FAUSTO, M. C. R.; LIMA, L. D. DE. Política de saúde e eqüidade. São Paulo em Perspectiva, v. 17, n. 1, p. 58–68, mar. 2003.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. World report on disability 2011. Switzerland: [s.n.]. Disponível em: <https://www.unicef.org/protection/World_report_on_disability_eng.pdf>. Acesso em: 7 set. 2019.

Publicado
2020-04-15