TECNOLOGIA LEVE NO PÓS-PARTO: MATERIAL EDUCATIVO COMO INSTRUMENTO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

Resumo

A educação em saúde é uma ação muito importante e, neste contexto, a enfermagem tem uma ampla ação frente à comunidade, esclarecendo, orientando e educando para a saúde. Este artigo é resultado do projeto “Consulta de Enfermagem no Pré-Natal e Pós-Parto”, que objetivou estruturar um material educativo sobre pós-parto e aleitamento materno em uma maternidade de ensino nos Campos Gerais, bem como aplicá-lo e avaliá-lo junto a puérperas e especialistas em âmbito primário, secundário e terciário, segundo critérios de Pasquali. O estudo é descritivo, mediante ações extensionistas com a comunidade. A coleta ocorreu com 10 puérperas atendidas pelo projeto e 10 especialistas na área da saúde da mulher/obstetrícia. O material educativo sobre pós-parto foi elaborado com o intuito de sanar as dúvidas das puérperas O resultado foi que todos os critérios avaliados pelas especialistas e puérperas superaram a média alvo de 50%, ficando entre 80 a 100% concordância total. Conclui-se que o material educativo facilitou o aprendizado das puérperas, contribuindo na sua autonomia materna.

Biografia do Autor

Éven Machinski, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
Aluna de Graduação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa – PR, Brasil.  
Ana Paula Xavier Ravelli, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
Professora da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa – PR, Brasil. Doutorado em Enfermagem.

Referências

ABREU, T.F.K.; AMENDOLA, F.; TROVO, M.M. Tecnologias Relacionais como Instrumentos para o Cuidado na Estratégia Saúde da Família.Revista Brasileira de Enfermagem [internet], 70(5):1032-9, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde – Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa. Protocolos da Atenção Básica – Saúde das Mulheres. Brasília – DF, 2016. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolos_atencao_basica_saude_mulheres.pdf>. Acessado em: 24 de abril de 2019.

CRESTANI, A.H.; MORAES, A.B.; SOUZA, A.P.R. Validação de conteúdo: clareza/pertinência, fidedignidade e consistência interna de sinais enunciativos de aquisição da linguagem. CoDAS. 29(4):e2016180, 2017.

DALMOLIN, A.; PERLINI, N.M.O.G.; COPPETTI, L.C.; ROSSATO, G.C.; GOMES, J.S.; SILVA, M.E.N. Vídeo educativo como recurso para educação em saúde a pessoas com colostomia e familiares. Revista Gaúcha Enfermagem. 37(esp):e68373, 2016.

D’AVILA, C.G.; PUGGINA, A.C.; FERNANDES, R.A.Q. Construção e validação de jogo educativo para gestantes. Escola Anna Nery 22(3), 2018.

DODOU, H.D.; OLIVEIRA, T.D.A.; ORIÁ, M.O.B.; RODRIGUES, D.P.; PINHEIRO, P.N.C.; LUNA, I.T. A prática educativa realizada pela enfermagem no puerpério: representações sociais de puérperas. Revista Brasileira Enfermagem [Internet]. Nov-Dez; 70(6):1320-8, 2017.

FARIAS, M.S.; PONTE, K.M.A.; GOMES, D.F.; MENEZES, R.S.P. Tecnologia educativa sobre câncer gástrico. Revista Enfermagem UFPE online., Recife, 12(4):947-52, abr., 2018.

FIGUEIREDO, J. V.; FIALHO, A.V.D.; MENDONÇA, G.M.M.; RODRIGUES, D.P.; SILVA, L.F. A dor no puerpério imediato: contribuição do cuidado de enfermagem. Universidade Estadual do Ceará. Revista Brasileira de Enfermagem [internet]. 71 (suppl 3):1424-31. Fortaleza – CE, 2018.

LIMA, P.S.; BLANES, L.; FERREIRA, L.M.; GOMES, H.F.C. Manual educativo de cuidados à criança com gastrostomia: construção e validação. REME. Rev Min Enferm. 22:e-1123, 2018.

MARINHO, M.S.; ANDRADE, E.N.; ABRÃO, A.C.F.V. A atuação do(a) enfermeiro(a) na promoção, incentivo e apoio ao aleitamento materno. Revista Enfermagem Contemporânea. 4(2):189-198. Jul./Dez., 2015.

MATOS, M.R.; RAVELLI, A.P.X.; SCORUPSKI, R.; SKUPIEN, S.V.; CAMARGO, T.V. Construção e implementação de um jogo educativo para puérperas. Revista Extensão em Foco, nº 18, p. 01-14. Jan./Jun., 2019.

MENDES, P.D.G.; FILHA, F.S.C.; SILVA, R.N.A.; VILANOVA, J.M.; SILVA, F.L. O papel educativo e assistencial de enfermeiros durante o ciclo gravídico-puerperal: a percepção de puérperas. R. Interd. V.9, n.3, p.49-56, julho/agosto/setembro, 2016.

NASCIMENTO, E.A.; TARCIA, R.M.L.; MAGALHÃES, L.P.; SOARES, M.A.L.; SURIANO, M.L.F.; DOMENICO, E.B.L. Folhetos educativos em saúde: estudo de recepção. Rev Esc Enferm USP. 49(3):435-442, 2015.

OLIVEIRA, J.S.B.; SUTO, C.S.S.; SILVA, R.S. Tecnologias Leves como Práticas de Enfermagem na Atenção Básica.Revista Saúde.Com, 12(2):613-621, 2016.

PEUKER, A.C.; LIMA, N.B.; FREIRE, K.M.; OLIVEIRA, C.M.M.; CASTRO, E.K. Construção de um material educativo para a prevenção do câncer de colo do útero. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, Londrina, v. 8, n. 2, p. 146-160, dez. 2017.

PRIGOL, A.P.; BARUFFI, L.M. O Papel do Enfermeiro no Cuidado à Puérpera. Revista de Enfermagem UFSM, 7(1):1-8, Janeiro/Fevereiro, 2017.

REGRA, G.L.; SALERNO, G.R.; FERNANDES, S.M.S. Educação em Saúde para Grávidas e Puérperas. Revista Pesquisa em Fisioterapia, 7(3):351-358, Agosto, 2017.

SABINO, L.M.M.; BRASIL, D.R.M.; CAETANO, J.A.; SANTOS, M.C.L.; ALVES, M.D.S. Uso de Tecnologia Leve-Dura nas Práticas de Enfermagem: Análise de Conceito. Chía, Colombia. VOL.16 Nº2, 230-239, junho, 2016.

Publicado
2020-03-02