EXTENSÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE UMA TURMA DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS EM ESCOLAS NAS CIDADES DE PELOTAS E CAPÃO DO LEÃO

Resumo

Constituída em uma prática educativa, a Educação Ambiental é comprometida com a formação de cida-dãos conscientes ambientalmente. Este trabalho objetivou relatar as experiências práticas de Educação Ambiental obtidas por meio de ações de extensão desenvolvidas por discentes de pós-graduação em Ciências Ambientais da Universidade Federal de Pelotas, em parceria com o Núcleo de Educação, Pesquisa e Extensão em Resíduos e Sustentabilidade, aplicadas em duas escolas da rede pública, com a participação de aproximadamente cinquenta crianças do ensino fundamental, entre seis e quatorze anos. Por meio da sensibilização, de oficinas pedagógicas de teatro de fantoches, desenhos, oficina de grafite, contação de histórias e de atividades e jogos lúdicos a respeito do meio ambiente, procurou-se abordar temas como: resíduos sólidos, arborização e crimes ocorridos em Mariana e Brumadinho. Observou-se um resultado positivo das oficinas, contribuindo para a melhor compreensão da interação humana com o meio ambiente e com as consequências das ações humanas.

Biografia do Autor

Greici Maia Behling, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Professora da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil. Doutorado em Educação Ambiental.
Luciara Bilhalva Corrêa, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Professora da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil. Doutorado em Educação Ambiental. 
Denise Dobke, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Atila Martins Gomes, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluno de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil. 
Carolina da Silva Gonçalves, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Márcio Francisco Denzer Krüger, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluno de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil. 
Fabiana Fernandes Laroque, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Valéria Defavari Moretti, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Médica Veterinária. Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil. Especialização em Medicina de Animais Silvestres.
Luiza Beatriz Gamboa Araújo Morselli, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Kaliani Tombini Pereira, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Gabriela Tombini Ponzi, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Aryane Araújo Rodrigues, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.
Ana Beatriz Gonçalves Vaz, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Aluna de Mestrado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas - RS, Brasil.

Referências

ANDRADE, Maria Felicia Felicio. Arte e Educação Ambiental através dos muros da escola. 2011. 32 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Artes Visuais) - Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes - Universidade de Brasília, Rio Branco, 2011. Disponível em http://bdm.unb.br/bitstream/10483/4459/1/2011_MariaFeliciaFelicioAndrade.pdf. Acesso em julho de 2019.

ANDRADE, Ricardo Teixeira Gregório de Andrade. Educação Ambiental: uma perspectiva metodológica empregada pelo Projeto Nativas no Campus da UFRN. In: Revista Holos, 2008. Disponível em:< http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/download/108/139 > acesso em 29 de julho de 2009.

AVILA, Angela Luciana de et al. Educação Ambiental no Ensino Fundamental através da identificação e plantio de espécies arbóreas. In: REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 22, 2009. Disponível em https://periodicos.furg.br/remea/article/view/2831. Acesso em julho de 2019.

BALDISSERA, Adelina. Pesquisa-ação: uma metodologia do “conhecer” e do “agir” coletivo. In: Sociedade em Debate, v. 7, n. 2, p. 5-25, 2012. Disponível em http://revistas.ucpel.edu.br/index.php/rsd/article/viewFile/570/510. Acesso em julho de 2019.

BERMUDEZ, G. M. M.; AGOSTINI, J. P.; JUNIOR, V. B. S. 2013. O lúdico e a educação ambiental: teatro de fantoches sobre as relações da comunidade local, do manguezal e a sua preservação. II Simpósio sobre a biodiversidade da Mata Atlântica, SAMBIO, Santa Teresa. Disponível em http://www.sambio.org.br/simbioma/simbioma%20ii/25.pdf. Acesso em julho de 2019.

BRASIL. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 abr. 1999. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm. Acesso em julho de 2019.

BRASIL. Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Brasília, DF: 1998. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9605.htm. Acesso em: 20 de julho de 2019.

CARDOSO, Ana Lúcia Sanchez; FARIA, Moacir Alves de. A Contação de Histórias no Desenvolvimento da Educação Infantil. Universidade Nove de Julho. Publicações, v.6., 2016. Disponível em: http://docs.uninove.br/arte/fac/publicacoes/pdf/v6-2016/ARTIGO-ANA-LUCIA-SANCHES.pdf. Acesso em: 20 de julho de 2019.

CARVALHO, Emerson Machado de; CHACUR, Mônica Mungai. Jogo Ecológico: Instrumento Didático na Construção de Conceito Socioambientais para Alunos do Ensino Básico. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v.28, p. 274- 284, 2012. Disponível em https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3130. Acesso em julho de 2019.

COUSIN, Cláudia da Silva. Pertencer ao navegar, agir e narrar: a formação de educadores ambientais. 2010. 207 f. Tese (Doutorado) - Doutorado em Educação Ambiental, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2010. Disponível em http://repositorio.furg.br/handle/1/2068/browse?value=Cousin%2C+Claudia+da+Silva&type=author. Acesso em julho de 2019.

CUNHA, Leo. Um dia, um rio. Pulo do Gato. São Paulo. 2016. ISBN 978-85-64974-96-8.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1981.

GRAUDO, Debora; GUIMARAES, Mauro. Pertencimento e Educação Ambiental: reflexões iniciais. IX Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, 2017. disponível em: http://epea.tmp.br/epea2017_anais/pdfs/plenary/0035.pdf.> Acesso em 30 de julho de 2019.

GRENNO, Fernando Enrique; PROFICE, Christiana Cabicieri. Experiências diretas entre crianças e natureza – educar para a sustentabilidade. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande, v. 36, n. 1, p. 324-338, jan./abr. 2019. E-ISSN 1517-1256 Disponível em:< https://periodicos.furg.br/remea/article/download/8766/5824> Acesso em 15 de julho de 2019.

GRZEBIELUKA, D.; KUBIAK, I.; Schiller, A. M. Educação ambiental: a importância deste debate na educação infantil. Revista Monografias Ambientais. E-ISSN 2236-1308, v. 13, n.5, p. 3881 - 3906, 2014. Disponível em:< https://periodicos.ufsm.br/remoa/article/viewFile/14958/pdf> Acesso em 21 de julho de 2019.

GUARDA, G. N.; LUZ, T. N.; RODRIGUES, T.; BELTRAME, L. M. A RODA DE CONVERSA COMO METODOLOGIA EDUCATIVA: O DIÁLOGO E O BRINCAR OPORTUNIZANDO O PROTAGONISMO INFANTIL NA SALA DE AULA. In: XII CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2017, Curitiba. disponível em https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/26991_13947.pdf. Acesso em 30 de julho de 2019.

GUERRA Rafael Angel Torquemada, GUSMÃO, Christiane Rose de Castro e SIBRÃO, Edgard Ruiz. Teatro de fantoches: uma estratégia em educação ambiental. In: AZEITEIRO, U. M., PEREIRA, M. J., LEAL-FILHO, W., CAEIRO, S., BACELAR-NICOLAU, P., MORGADO, F.; GONÇALVES, F. (Eds), Discursos. Global Trends on Environmental Education., Universidade Aberta, Lisboa, nº especial: 361-375. 2004 Disponível em http://livrozilla.com/doc/343068/teatro-de-fantoches--uma-estrat%C3%A9gia-em-educa%C3%A7%C3%A3o-ambiental. Acesso em 30 de julho de 2019.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. In: Cadernos de Pesquisa. n. 118, p. 189-205, 2003. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/cp/n118/16834.pdf. Acesso em 30 de julho de 2019.

LAYRARGUES, Philippe Pomier (coord). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. Disponível em:< https://www.mma.gov.br/estruturas/educamb/_arquivos/livro_ieab.pdf> Acesso em 29 de julho de 2019.

LEFF, Enrique. Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez , 2001.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Teoria social e questão ambiental: pressupostos para uma práxis crítica em Educação Ambiental”. In: Loureiro, C.F.B., Layrargues, P.P & castro, R.S.(orgs.).Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. São Paulo, Cortez, 2000.

______, Carlos Frederico Bernardo. Educação ambiental transformadora. In: Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, p. 65-84, 2004. Disponível em http://www.mma.gov.br/estruturas/educamb/_arquivos/livro_ieab.pdf. Acesso em 29 de julho de 2019.

MEDEIROS, A. B. et al. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 1-17, 2011. Disponível em http://www.terrabrasilis.org.br/ecotecadigital/pdf/a-importancia-da-educacao-ambiental-na-escola-nas-series-iniciais.pdf. Acesso em 29 de julho de 2019.

MORAN, J. M. O Vídeo na Sala de Aula. Revista Comunicação & Educação. v.2, p. 27-35, 1995. Disponível em http://www.eca.usp.br/prof/moran/site/textos/desafios_pessoais/vidsal.pdf. Acesso em 29 de julho de 2019.

MOTA, J. M. et al. Confecção de brinquedos usando ecodesign como ferramenta da gestão ambiental. 1º Congresso Sul-Americano de Resíduos Sólidos e Sustentabilidade. Anais do 1º Congresso Sul-Americano de Resíduos Sólidos e Sustentabilidade. Gramado, 2018.

REIGOTA, M. O que é educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 2009.

ROCHA, M.B.; SANTOS, N.P.; NAVARRO, S.S. Educação Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos: concepções e práticas de estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental. In: Ambiente & Educação. v, 17, n. 1, p. 97-122, 2012. Disponível em https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/2473. Acesso em 29 de julho de 2019.

RODRIGUES, A. L. L.; PRAT, M. S.; BATALHA, T. B. S.; COSTA, C. L. N. A.; NETO, I. F. P. Contribuições da extensão universitária na sociedade. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais, Aracaju, v. 1, n.16, p. 141-148, mar. 2013. Disponível em:< https://periodicos.set.edu.br/index.php/cadernohumanas/article/viewFile/494/254> Acesso em 22 de julho de 2019.

SILVA, A. P. Educação Ambiental em resíduos sólidos nas unidades escolares municipais de Presidente Prudente - SP. 2009. 207 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2009. Disponível em http://www2.fct.unesp.br/pos/geo/dis_teses/09/alinepereira.pdf Acesso em 26 de julho de 2019.

SILVA, L.R. et al. Tabuleiro ecológico: educação ambiental através da ludicidade. V Seminário de Pesquisa de Professores e VI Jornada de Iniciação Científica da UNUCSEH, Anais da V Seminário de Pesquisa de Professores e VI Jornada de Iniciação Científica da UNUCSEH, Anápolis, 2010. Disponível em http://www2.unucseh.ueg.br/anais/edicao/edicao_vol05_n05/anais_iniciacaocientifica/geografia/spp_jic2010_geo_tabuleiro_ecologico_ludiana_josilane_rayane_mariana_adda.pdf Acesso em 26 de julho de 2019.

SILVA, M.N.M. Teatro de Fantoches: uma atividade cênica como estratégia para a aprendizagem no ensino infantil. 2011. 38 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Teatro) - Departamento de Artes Cênicas do Instituto de Artes - Universidade de Brasília, Cruzeiro do Sul, 2011. Disponível em https://docplayer.com.br/14115315-Teatro-de-fantoches-uma-atividade-cenica-como-estrategia-para-aprendizagem-no-ensino-infantil-maria-de-nazare-marques-da-silva.html Acesso em 26 de julho de 2019.

SILVA, Renata Carvalho da; IAPECHINO, Mari Noeli Kiehl. A possibilidade de um “não-possível”: O grafite em uma perspectiva didática. 2010. Disponível em:< http://www.encontrosdevista.com.br/Artigos/A_POSSIBILIDADE_DE_UM_NAO-POSSIVEL_O_GRAFITE%20EM_UMA_PERSPECTIVA_DIDATICA.pdf. Acesso em 26 de julho de 2019.

SIQUEIRA, I. J.; ANTUNES, A. M. Jogo de trilha “Lixo Urbano”: educação ambiental para sensibilização da comunidade escolar. Ensino, Saúde e Ambiente. v, 6, n. 3, p. 185-201, 2013. Disponível em:< http://periodicos.uff.br/ensinosaudeambiente/article/download/21151/12624. Acesso em 26 de julho de 2019.

SOUZA, Mariana Cristina da Cunha. Educação ambiental e as trilhas: Contexto para a sensibilização ambiental. Revbea, São Paulo. V. 9, Nº 2: 239-253, 2014. Disponível em:< http://revbea.emnuvens.com.br/revbea/article/view/2644/2919> Acesso em 26 de julho de 2019.

VEGA, L. B. da S.; SCHIRMER; S. N. Oficinas ecopedagógicas: transformando as práticas educativas diárias nos anos iniciais. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 20, p. 393-408, 2008. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3856. Acesso em 26 de julho de 2019.

ZIRALDO. Menino do Rio Doce. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 1996; 17ª impressão, 2017. ISBN 978-85-85466-69-5.

Publicado
2020-04-11