LITERATURA INFANTOJUVENIL E FORMAÇÃO DOCENTE: ATIVIDADES EXTENSIONISTAS NA INTERLIGAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E COMUNIDADE

Resumo

A extensão universitária possibilita a execução de atividades com interesse social e busca interligar ações desenvolvidas entre a universidade com a comunidade. A presente reflexão comunica resultados do projeto de extensão “A literatura infantojuvenil como contributo para a promoção humana no contexto municipal de Humaitá/AM”. Tem como objetivo expor compreensões de extensionistas vivenciadas em espaços de contação de histórias para crianças em situação de vulnerabilidade social. As atividades desenvolvidas são ações originadas de atividades extensionistas que se enquadram em uma perspectiva qualitativa, a partir de experiências de uma práxis educativa pautada na ação-reflexão-ação. Podemos dizer que a efetivação da extensão na comunidade, relatada pelos estudantes, dá conta de que a prática formativa docente ocorre mediante ação, reflexão e intervenção pedagógica e que a parceria entre universidade/comunidade proporciona melhorias no processo de educacional.

Biografia do Autor

Genivaldo Frois Scaramuzza, Universidade Federal de Rondônia - UNIR
Professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Ji-paraná – RO, Brasil. Doutorado em Educação.
Maria Isabel Alonso Alves, Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Humaitá – AM, Brasil. Doutorado em Educação.
Simone Alves Scaramuzza, Universidade Católica Dom Bosco - UCDB
Aluna de Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande – MS, Brasil.

Referências

ALVES, Maria Isabel Alonso. Registrando emoções: A literatura infanto juvenil como contributo para a promoção humana no contexto municipal de Humaitá/AM. Relatório Final da Atividade Curricular de Extensão. PROEXTI. Universidade Federal do Amazonas - UFAM, 2018.

ANDRÉ, Marli. O papel mediador da pesquisa no ensino da didática. In: ANDRÉ, M.; OLIVEIRA, M. R. (Orgs.). Alternativas do ensino da didática. Campinas/SP: Papirus, 1997. p. 19-36.

ANDRÉ, Marli. PESCE, Marly Krunger. Formação do professor pesquisador na visão do professor formador. Volume 04 / n. 07 jul. - dez. 2012.

ANDRE, Marli. Políticas e programas de apoio aos professores iniciantes no Brasil. Cad. Pesqui. [online]. 2012, vol.42, n.145, pp.112-129.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

COSTA-RENDERS, Elizabete Cristina; SILVA, Luciane Duarte da. A extensão e o alargamento do espaço de ensino-aprendizagem na educação superior . In: SÍVERES, Luiz (Org.). A Extensão universitária como um princípio de aprendizagem. Brasília: Liber Livro, 2013.

DAY, Christopher . Desenvolvimento Profissional de Professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto: Porto Editora, 2001.

DUSSEL, Inés. A transmissão cultural assediada: metamorfoses da cultura comum na escola. Caderno de Pesquisa. São Paulo, vol.39, n. 137, maio/ago. 2009, p. 351- 365.

GATTI, Bernadete. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010.

GODOY, Arilda Schmidt. PESQUISA QUALITATIVA TIPOS FUNDAMENTAIS. Revista de Administração de Empresas São Paulo, v. 35, n.3, p, 20-29 Mai./Jun. 1995.

GONSALVES, Elisa Pereira. Conversas sobre á pesquisa cientifica. 4.ed Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: Abordagem qualitativa. 2. ed. Rio de Janeiro: EPU, 2013.

MOTA, Fabiane. UM “BICHO PAPÃO” CHAMADO TCC: O QUE DIZEM OS EGRESSOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DO IEAA. MONOGRAFIA (Colegiado de Pedagogia).Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente/Universidade Federal do Amazonas – IEAA/UFAM, Humaitá,AM, 2017.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Os Professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

TARDIF, Maurice, Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas conseqüências em relação à formação para o magistério. In: Revista Brasileira de Educação, n°13, 2000.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional.Petrópolis: Vozes, 2002.

Zeichner, K. (1992). Novos caminhos para o practicum: uma perspectiva para os anos 90. In: NÓVOA, A. (Org.). Os Professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

ZEICHNER, Kenneth M.. Uma análise crítica sobre a "reflexão" como conceito estruturante na formação docente. Educ. Soc. [online]. 2008, vol.29, n.103.

Publicado
2020-01-17