PLANEJAMENTO REPRODUTIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA MULTIDISCIPLINAR

Palavras-chave: Planejamento Familiar, Educação em Saúde, Promoção da Saúde.

Resumo

Objetiva-se descrever o trabalho multidisciplinar desenvolvido no serviço de Planejamento Reprodutivo do Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr., que busca auxiliar as mulheres na escolha de um método anticoncepcional. Trata-se de um relato de experiência constituído das seguintes etapas: grupo de planejamento familiar, atendimento com as assistentes sociais, consulta médica e procedimentos ambulatoriais ou cirúrgicos, envolvendo uma equipe multiprofissional (docentes, discentes e profissionais da saúde) composta por integrantes da enfermagem, medicina, assistência social e técnicos administrativos. Em todas essas etapas, a educação e a promoção da saúde se fazem presentes, de modo a instigar a reflexão e empoderar as pessoas assistidas por meio da informação para a escolha de um método anticoncepcional.

Biografia do Autor

Victoria Leslyê Rocha Gutmann, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Aluna de Graduação da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande - RS,  Brasil.
Daniela dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Aluna de Graduação da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande - RS,  Brasil.
Nalú Pereira da Costa Kerber, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Professora da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande - RS,  Brasil. Doutorado em Enfermagem. 
Tania Maria de Morais Vieira da Fonseca, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Técnica Administrativa em Educação da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande - RS,  Brasil. Mestrado em Ciências da Saúde.
Kharen Carlotto, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Professora da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande - RS,  Brasil. Doutorado em Ciências da Saúde.

Referências

ALVES, G.G.; AERTS, D. As práticas educativas em saúde e a Estratégia Saúde da Família. Ciênc. Saúde Colet., v. 16, n. 1, p. 319-325, 2011.

ARAÚJO, A.B.R. et al. Anticoncepcionais hormonais contendo apenas progestágenos e seus principais efeitos. Braz. J. Surg. Clin. Res., v. 15, n. 1, p. 75-81, 2016. Disponível em:<http://200.239.128.16/bitstream/123456789/6688/1/ARTIGO_AnticoncepcionaisHormonaisContendo.pdf>. Acesso em: 14 dez. 2018.

BAILEY, M.J. Fifty years of family planning: New evidence on the long-run effects of increasing access to contraception. Working paper no. 19493. Cambridge, MA: National Bureau of Economic Research, 2013.

BLOOM, D.E. et al. Capturing the demographic dividend: Source, magnitude, and realization In One billion people, one billion opportunities, Soucat A. and Ncube M., editors. Washington, D.C.: Communications Development Incorporated, 2014.

BRANDÃO, E.R. et al. Os perigos subsumidos na contracepção de emergência: moralidades e saberes em jogo. Horizontes Antropológicos, v. 47, p. 131-161, 2017. Disponível em:<https://journals.openedition.org/horizontes/1467#quotation>. Acesso em: 15 dez. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília (DF): Senado, 1988. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 09 dez. 2018.

______. Lei nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996. Regula o parágrafo 7º do art. 226 da Constituição Federal, que trata do planejamento familiar, estabelece penalidades e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 12 jan. 1996. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9263.htm>. Acesso em: 06 dez. 2018.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher: princípios e diretrizes. 1.ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Disponível em:<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_mulher_principios_diretrizes.pdf>. Acesso em: 09 dez. 2018.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde Reprodutiva. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 25 nov. 2018.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico HIV AIDS 2018. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em:< http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2018/boletim-epidemiologico-hivaids-2018>. Acesso em: 16 jun. 2019.

COSTA, J.E.S. et al. Preservativo feminino: dificuldades de adaptação e estratégias para facilitar o uso rotineiro. Rev. Enferm. UERJ, v. 22, n. 2, p. 163-168, 2014. Disponível em:<http://www.facenf.uerj.br/v22n2/v22n2a03.pdf>. Acesso em: 14 dez. 2018.

EVANGELISTA, C.B.; BARBIERI, M.; DA SILVA, P.L.N. Gravidez não planejada e fatores associados à participação em programa de planejamento familiar. Rev. de Pesq. Cuidado É Fundam., v. 7, n.2, p. 2464-2474, 2015. Disponível em:<https://www.redalyc.org/html/5057/505750946023/>. Acesso em: 09 dez. 2018.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GONÇALVES, G.H.T.; MARCON, S.S. Laqueadura ou vasectomia: fatores a considerar para a saúde da mulher. UNOPAR Cient., Ciênc. Biol. Saúde, v. 8, n. 1, p. 31-38, 2006. Disponível em:<http://www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/JHealthSci/article/view/1576/1509>. Acesso em: 14 dez. 2018.

HU/FURG. Relação de entrega de DIU no ambulatório e centro obstétrico. Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr/Universidade Federal do Rio Grande/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Rio Grande/RS: HU/FURG, 2019.

LUBIANCA, J.N. Opções de anticoncepção na adolescência. OPAS/OMS, v. 1, n. 17, 2016. Disponível em:<https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&category_slug=serie-uso-racional-medicamentos-284&alias=1545-opcoes-anticoncepcao-na-adolescencia-5&Itemid=965>. Acesso em: 15 dez. 2018.

MADRAZO, K.P. et al. Educación para la Salud y Acciones de Enfermería: una

articulación en el control del riesgo preconcepcional. Rev. Cubana de Enfermería, v. 32, n. 2, p. 218-225, 2016. Disponível em:<http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-03192016000200008>. Acesso em: 07 dez. 2018.

MINISTÉRIO, J.E.S.; SILVA, L.D.; MELLO, P.G. Vasectomia: imposição ou consciência contemporânea? Anais da X Mostra Científica do CESUCA, 2016. Disponível em:<http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/mostrac/article/view/1156>. Acesso em: 15 dez. 2018.

MORAES, J.L.M. et al. Conhecimento de puérperas acerca do método anticoncepcional da lactação com amenorreia. Aquichan, v.15, n. 4, p. 475-485, 2015. Disponível em:<https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5283325>. Acesso em: 14 dez. 2018.

MOURA, E.R.F. et al. Perfil demográfico, socioeconômico e de saúde reprodutiva de mulheres atendidas em planejamento familiar no interior do Ceará. Rev. Baiana Saúde Públ., v. 34, n. 1, p. 119-133, 2010.

NCC-WCH. National Collaborating Centre for Women’s and Children’s Health. Long-acting reversible contraception: the effective and appropriate use of long-acting reversible contraception. RCOG Press, p. 1-167, 2005.

NOGUEIRA, I.L. et al. Participação do homem no planejamento reprodutivo: revisão integrativa. Rev. Cuidado é Fundamental, v. 10, n. 1, p. 242-247, 2018.

ONARHEIM, K.H.; IVERSEN, J.H.; BLOOM, D.E. Economic Benefits of Investing in Women’s Health: A Systematic Review. Plos One, 2016. Disponível em:<https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4814064/pdf/pone.0150120.pdf>. Acesso em: 09 dez. 2018.

PAIVA, C.C.N. et al. Educação em saúde segundo os preceitos do Movimento Feminista: estratégias inovadoras para promoção da saúde sexual e reprodutiva. Escola Anna Nery, v. 19, n. 4, p. 685-691, 2015.

SANTOS, R.B. et al. Processo de readequação de um planejamento familiar: construção de autonomia feminina em uma Unidade Básica de Saúde no Ceará. Rev. Eletron. Comum. Inf. Inov. Saúde, v. 10, n. 3, 2016. Disponível em:<https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/1074>. Acesso em: 07 dez. 2018.

SILVA, K.C.S; BONAN, C., NAKANO, A.R. Estratégia Saúde da Família e assistência ao planejamento reprodutivo: desafios de integração, coordenação e continuidade dos cuidados. Rev. APS, v. 17, n. 4, p. 497-506, 2014. Disponível em:<https://aps.ufjf.emnuvens.com.br/aps/article/view/2008>. Acesso em: 08 dez. 2018.

SOUZA, E.C.F. et al. Acesso e acolhimento na atenção básica: uma análise da percepção dos usuários e profissionais de saúde. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, supl. 1, p. 100-110, 2008.

Publicado
2019-09-20