A REVISTA EXÍLIO, DE SANTA RITA E PESSOA, E O SEU OCULTISMO

Pedro Teixeira da Mota

Resumo


O presente ensaio centra-se na revista Exílio na continuidade das publicações Modernistas, especialmente nas suas ligações com Orpheu e Centauro. Para o alcance da proposta dessas relações dialógicas, discutem-se alguns aspectos como: a) a amizade entre Augusto de Santa-Rita, director, e Fernando Pessoa, colaborador e provavelmente um dos ideólogos por detrás da publicação;  b) o conteúdo da revista Exílio: colaboradores, artigos e desenhos simbólicos; c) o editorial ou Justificação e as suas linhas de força espirituais; d) alguns aspectos ocultos e esotéricos na obra de Augusto Santa-Rita e Fernando Pessoa, em especial nos textos e poemas de ambos na Exílio; e) o artigo final de Fernando Pessoa, como mestre do movimento Sensacionista, com as suas tendências esotéricas, e crítico e instrutor de dois jovens poetas sensacionistas; f) a ideia de missão e do "É a Hora", agora; g) a Tradição Templária na Exílio, em Augusto de Santa-Rita e em Fernando Pessoa.


Palavras-chave


crítica literária

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/uniletras.v38i2.9409

 

Logotipo do IBICT

 

O CONTEÚDO DA REVISTA É DE RESPONSABILIDADE DOS AUTORES.