ENTRE O SIMBOLISMO FRANCÊS E O MODERNISMO PORTUGUÊS: A PRESENÇA DO BRASILEIRO EDUARDO GUIMARAENS NA REVISTA ORPHEU

Bruno Anselmi Matangrano

Resumo


Em 1915, Eduardo Guimaraens (1892-1928) publicou três poemas no segundo volume da Revista Orpheu, principal meio propagador do Modernismo português. Reconhecidos pela forte presença do Simbolismo francês – seja pelo tom decadente de “Folhas Mortas”, seja pela imagem central de “Sobre o Cisne de Stéphane Mallarmé” –, seus poemas se inserem naquilo que, ultrapassando os limites dos movimentos literários, desde Charles Baudelaire convencionou-se a denominar Modernidade. Com isto em mente, o presente trabalho pretende analisar a relação entre Modernismo e Simbolismo, com o objetivo de mostrar quais são suas confluências e especificidades, a partir da poesia de Guimaraens.


Palavras-chave


Simbolismo; Modernismo; Recepção

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/uniletras.v38i2.9294

 

Logotipo do IBICT

 

O CONTEÚDO DA REVISTA É DE RESPONSABILIDADE DOS AUTORES.