Festa, Imaginário Amazônico e Territorialidade Cultural do Sairé no Oeste Paraense
Feast, Amazon Imaginary And Cultural Territoriality Of Sairé In The West Paraense
Fiesta, Imaginario Amazónico Y Territorialidad Cultural Del Sairé En

Maria Augusta Freitas Costa

Resumo


A compressão tempo-espaço contemporânea delimita uma aceleração aos processos sócios- territoriais que refletem práticas de sociabilidade e de subjetivação. Nesse sentido, apresentamos uma investigação acerca da seguinte questão: como o imaginário social instituído e manifestado no campo das festas é operacionalizado na produção de territorialidades culturais em contexto de aceleração e mobilidade sociais territoriais? A metodologia usada é de caráter qualitativo, baseada em análise documental, observação dirigida e entrevista com os organizadores da festa do Sairé em Alter do Chão. Nossa abordagem centrou-se na análise de aspectos de territorialidade culturais atreladas às manifestações da realidade e da racionalidade presentes no imaginário das organizações sociais ligadas às festas, e dessas, como instrumentos que intermediam as sociabilidades e as subjetivações. Nossa análise parte da escala local da festa do Sairé realizada no distrito santareno de Alter do Chão no oeste paraense, onde há uma intensidade e mobilidade de fluxos turísticos. Nesse local a estrutura ritualística da festa do Sairé se ordena, entre outros ritos, entorno do Festival dos Botos. Esse festival permite observarmos as relações contraditórias pelas quais as práticas de subjetivações e de sociabilidades se configuram como territorialidades culturais no campo das festas e do imaginário amazônico.
Palavras-chave: Territorialidade. Cultura. Imaginário.

Abstract: The contemporary time-space compression delimits an acceleration to the socio-territorial processes that reflect practices of sociability and subjectivation. In this sense, we present an investigation about the following question: how the social imaginary instituted and manifested in the field of festivals is operationalized in the production of cultural territorialities in the context of territorial acceleration and social mobility? The methodology used is qualitative, based on documental analysis, directed observation and interview with the organizers of the Sairé's feast in Alter do Chão. Our approach focused on the analysis of aspects of cultural territoriality linked to the manifestations of reality and rationality present in the imaginary of the social organizations linked to the feasts, and of these, as instruments that intermediate the sociabilities and the subjectivations. Our analysis is based on the local scale of the Sairé's feast held in the district of Alter do Chão in western Pará, where there is an intensity and mobility of tourist flows. In this place the ritualistic structure of the Sairé's feast is ordered, among other rites, around the “Botos’s Festivals”. This festival allows us to observe the contradictory relations by which the practices of subjectivity and sociability are configured as cultural territorialities in the field of festivals and the Amazonian imaginary.
Keywords: Territoriality. Culture. Imaginary.

Resumen: La compresión tiempo-espacio contemporánea delimita una aceleración a los procesos socio- territoriales que reflejan prácticas de sociabilidad y de subjetivación. En ese sentido, presentamos una investigación sobre la siguiente cuestión: ¿cómo se opera el imaginario social instituido y manifestado en el campo de las fiestas en la producción de territorialidades culturales en contexto de aceleración y movilidad sociales territoriales? La metodología utilizada es de carácter cualitativo, basada en análisis documental, observación dirigida y entrevista con los organizadores de la fiesta del Sairé en Alter do Chão. Nuestro enfoque se centró en el análisis de los aspectos de la disgregación de las realidades de la realidad y de la racionalidad presentes en el imaginario de las organizaciones sociales ligadas a las fiestas, y de éstas, como instrumentos que intermediar las sociabilidades y las subjetividades. Nuestro análisis parte de la escala local de la fiesta del Sairé realizada en el distrito santareno de Alter do Chão en el oeste paraense, donde hay una intensidad y movilidad de flujos turísticos. En ese lugar la estructura ritualística de la fiesta del Sairé se ordena, entre otros ritos, entorno del Festival de los Botos. Este festival permite observar las relaciones contradictorias por las cuales las prácticas de subjetividades y de sociabilidades se configuran como territorialidades culturales en el campo de las fiestas y del imaginario amazónico.
Palabras clave: Territorialidad. Cultura. Imaginario.


Palavras-chave


Territorialidade. Cultura. Imaginário.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Rita de Cássia de Mello Peixoto. Festa à brasileira. Significados do festejar em um país que “não é sério”. Tese de Doutorado. FFLCH/USP, São Paulo, 1998.

AMARAL, C. J. Confusão na festa do Sairé. Jornal O Tapajós, p. 6, setembro de 1997.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaios sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

BETENDORF, João Felipe. Chronica da missão dos padres da Companhia de Jesus no estado do Maranhão. Revista do IHGB, Imprensa Oficial, 1910. t. 72, parte 1.

BATES, Henry Walter. The naturalist on the river Amazons. Berkeley: University of California Press, 1962 [London: 1864].

DaMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DANIEL, João (Sac.) [1722-1776] Tesouro descoberto no rio Amazonas. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2004.

DEMMATTES, Giuseppe. La encrucijada de la territorialidade urbana. Revista Bitacora, v. 1, n. 10, p. 53-63, dez. 2006.

DURKHEIM. Émile. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: Paulista, 1989.

ELIADE, Mircea. Mito e ealidade. São Paulo: Martins Fontes, 1979.

FERREIRA, Edilberto. O berço do Çairé. Santarém: Edição do Autor/Editora Valer, 2008.

GALÚCIO, A festa do sairé, Jornal O Tapajós, p. 8. set. 2003.

GALVÃO, Eduardo. Santos e visagens. São Paulo: Nacional/INL, 1976.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. Padres, pajés, santos e festas: catolicismo popular e controle eclesiástico: um estudo antropológico numa área do interior da Amazônia. Belém, PA: Cejup, 1995.

O Mariano, Jornal da Arquidiocese de Santarém, 30 de julho de 1943.

O Mariano, Jornal da Arquidiocese de Santarém, 30 de março de 1947.

PARATUR - COMPANHIA PARAENSE DE TURISMO. Plano Ver o Pará: plano estratégico de turismo do estado do Pará. Belém, 2011.

PEREIRA, Luciana Noronha. Morfologia urbana e atrativa de destinações turística: a importância da imagem na compreensão do sistema turístico da vila de Alter do Chão (Santarém-PA). Dissertação de mestrado. Balneário Camburiú-Santa Catariana: CE/UVI, 2007.

PEREIRA, Nunes. O Sairé e o Marabaixo: tradições da Amazônia. Recife, PE: FUNDAJ, Editora Massangana, 1989.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTARÉM. Inventário turístico municipal de 2011. Santarém/PA: 2011.

RAFFESTIN, Claude. Punti di riferimento per uma teoria dela territorialita´ umana. In: COPETA, Clara. Esistere e abitare. Prospettive umanistiche nella geografia francófona. Milano: Franco Ageli, 1986.

_____. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. A formação e o sentido do Brasil. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

RODRIGUES, João Barbosa. Poranduba Amazonense ou Kochiyma-uara porandub. Rio de Janeiro: Tipografia Leuzinger & Filhos, 1890.

SANTANA, Agustin. Antropologia do turismo: analogias, encontros e relações. São Paulo: ALEP, 2009.

SANTIAGO, Maria do Socorro de Farias. Pelos caminhos do Sairé: um estudo do comportamento popular nas Festas do Çairé. Tese de Doutorado. São Paulo: ECA/USP 1996.

SAQUET, Marcos Aurélio. As diferentes abordagens do território e a apreensão do movimento e da (i)materialidade. Geosul, Florianópolis, v. 22, n. 43, p. 55-76, jan./jun. 2007.

_____. Por uma geografia das territorialidades e das temporalidades: uma concepção multidimensional voltada para a cooperação e para o desenvolvimento territorial. São Paulo: Outras Expressões, 2011.

SLATER, Candace. A festa do Boto: transformação e desencanto na imaginação. Rio de Janeiro: FUNARTE, 2001.

URRY, John. O olhar do turista: lazer e viagem nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Studio Nobel/SESC, 1996.

VAZ FILHO, Florêncio Almeida. A emergência étnica dos povos indígenas do baixo Rio Tapajós, Amazônia. Tese de Doutorado. UFBA, Salvador, 2010.

VER O PARÁ. Festas juninas: a beleza do folclore paraense. Belém-PA, ano IX, n. 21, set. 2000.

WAGNER, Roy. The invention of culture. Chicago: The University of Chicago Press, 1981.

WAWZYNIAK, João Valentin. Humanos e não-humanos no universo transformacional dos ribeirinhos do rio Tapajós, Pará. Mediações, v. 17, n. 1, p. 17-32, jan./jun. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5935/2177-6644.20170014

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores e Bases de Dados
                                   

Traduzir para Chinês Traduzir para Italiano Traduzir para Alemão Traduzir para Japonês Traduzir para Russo
 



UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE | Setor de Ciências Humanas Letras e Artes | Programa de Pós-graduação Stricto Sensu | Mestrado em História | Campus de Irati – PR | PR 153 – Km 07 – Riozinho | CEP: 84.500-000 – Irati - PR | Telefones: 42 3421-3129 e 3421-3130