A Fonte que Nunca Seca: Uma Análise sobre Técnicas Corporais de Mulheres em Contato com a Água no Semiárido Brasileiro DOI: 10.5212/Rlagg.v.8.i1.0013

Claudio Cavas, Gabriel de Sena Jardim

Resumo


Nas comunidades mais pobres do mundo, nos lugares onde há falta de água e alimentos, as discriminações e desigualdades de gênero são marcadas por inúmeras dificuldades para as mulheres. Este artigo propõe analisar algumas técnicas corporais de mulheres no trabalho cotidiano com a água, a partir de uma perspectiva pós-colonial. O estudo foi realizado na zona rural de Soledade-PB, Semiárido brasileiro, com doze participantes, através de entrevistas semiestruturadas e coleta de material audiovisual. Os resultados indicam que, apesar dos esforços na integração das dimensões de gênero e água, nos programas e projetos para o desenvolvimento, persistem ainda algumas hierarquias e desafios na contemporaneidade.

Palavras-chave


Pós-Colonialismo; Feminismo; Técnicas Corporais; Mulheres; Água.

Texto completo:

PDF


 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com