Caracas e Mérida, Venezuela: Colonialidade Territorial e Gênero no filme Azul y no tan Rosa DOI: 10.5212/Rlagg.v.8.i1.0022

Leo Name

Resumo


Com vistas a contribuir para os estudos das relações entre espaços, gênero, sexualidades e entre cinema e cidade, este artigo se propõe a analisar Azul y no tan rosa, filme da Venezuela e da Espanha de 2012. Filio-me aos intelectuais latino-americanos se indagam a respeito do papel das obras audiovisuais na configuração da cidade latino-americana como um produto da colonialidade territorial.

Palavras-chave


Cinema e Cidade; Espaços; Gênero e Sexualidades; Colonialidade Territorial.

Texto completo:

PDF


 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com