A Transexualidade em Questão em Serviços de Saúde Mental com Leitos Masculinos e Femininos do Rio Grande do Sul DOI: 10.5212/Rlagg.v.8.i1.0018

Cristiane Camponogara Baratto, Eliana Dable de Mello, Lívia Zanchet

Resumo


Estudos apontam que a população LGBT vem alcançando maior visibilidade para suas questões, incluídas as de saúde mental. Apesar de avanços significativos com a criação da Política Nacional de Saúde LGBT, os serviços de saúde ainda costumam pensar suas práticas sem o conhecimento desta. Dessa forma, propusemos um processo reflexivo das equipes de uma internação psiquiátrica e de um CAPS AD III a respeito do atendimento a transexuais quando estes usuários necessitam de permanência noturna no serviço, onde os leitos são separados de forma binária masculino/feminino. Foram realizados grupos focais com cada equipe e a análise foi feita pelo Método Narrativo de Onocko-Campos. Foram extraídos oito temas para análise que são expostos neste artigo através de narrativas.

Palavras-chave


Transexualidade; Leitos de Permanência Noturna; Saúde Mental.

Texto completo:

PDF


 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com