Memória e Constituição da identidade de uma Professora Travesti

Gabriela da Silva

Resumo


O Ensaio traz como referencial teórico a questão da memória, considerada, para tanto, como constituidora de sentidos e significados históricos, possibilitando, no tempo presente, ressignificar a constituição da identidade de uma professora travesti. Com isto, pretende-se articular esta perspectiva teórico-metodológica com suas experiências e vivências na Educação Pública, tanto como aluna ou como professora, e atualmente, como doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), vinculada a Linha de Pesquisa: Dissidências de Gênero, Educação e Relações Étnico-Raciais do Núcleo de Estudos e Pesquisas de Travestilidades, Transexualidades e Transgeneridades (NETRANS). A memória como categoria central, é utilizada com a finalidade de retratar as mulheres invisíveis, as sombras, as minorias, as sujeitas excluídas da História Oficial, concernente a construção do mundo e da realidade. 


Palavras-chave


memória, identidade, professora, travesti e educação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/Rlagg.v.9.i2.0020

 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com