Entre o cisplay e a passabilidade: transfobia e regulação dos corpos trans no mercado de trabalho

Fernanda Martinelli, Taya Queiroz, Maria Léo Araruna, Bernardo Mota

Resumo


Este artigo parte de uma pesquisa maior que investiga como a discriminação a pessoas trans afeta sua empregabilidade e acesso à renda. Aqui exploramos duas categorias (cisplay e passabilidade) que emergiram nos relatos e se expressam de forma paradoxal no universo do trabalho: operam tanto como vetores de exclusão e violência, quanto como uma forma de sublimação da diferença. Mostramos como o corpo trans é necessariamente moldado por necessidades econômicas e sociais comuns, ultrapassando o âmbito da escolha individual, que também está presente, mas deslocada para o âmbito da possibilidade. Argumentamos que o trabalho pode ser, e frequentemente o é, um sistema operador da cisgeneridade compulsória.


Palavras-chave


pessoas trans, trabalho, transfobia, passabilidade, cisplay

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/Rlagg.v.9.i2.0019

 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com