Adolescentes Negros Moradores das Periferias Urbanas do Rio de Janeiro: entre Escola, Gênero, Masculinidades, Raça, Violência e Vivências

Paulo Melgaço da Silva Junior, Leandro da Conceição Borges

Resumo


Este artigo se propõe a discutir como os jovens adolescentes negros do 9º ano de uma escola pública de Duque de Caxias, periferia urbana do Rio de Janeiro, se co/constroem como homens e como vivenciam suas masculinidades em seu cotidiano. Para atingirmos os objetivos propostos, realizamos como atividade extraclasse uma roda de conversa com quatro alunos negros, a fim de conhecermos suas histórias e, a partir delas, buscarmos compreender como se constroem como homens negros, criando significados sobre a masculinidade legitimada e reconhecida pelo senso comum. O pensamento decolonial iluminou nossa reflexão. Como metodologia de pesquisa, nos inspiramos nas dinâmicas possibilitadas pelo grupo focal, subsidiados pelos estudos de Gondin (2003) e Morgan (1997). O estudo com o grupo de adolescentes negros apontou para a necessidade do estabelecimento de políticas educacionais de gênero e saúde voltadas para este segmento.


Palavras-chave


Adolescentes, Gênero, Masculinidades, Raça, Sexualidades.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/Rlagg.v.9.i1.0001

 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com