Gênero e o assédio moral nos espaços organizacionais de trabalho: exclusão que causam feridas

Marizete Albino Marta, Allan Robert Ramalho Morais

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar a extensão do assédio moral em relação ao gênero nos espaços organizacionais de trabalho, uma vez que as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaços no mundo do trabalho, mas ainda continuam sendo tratadas de forma discriminatória, humilhante e muitas vezes doentia acarretando isolamento e a redução da sua autoestima. Apesar da Constituição Federal Brasileira e da legislação infraconstitucional
trazerem diversos dispositivos de proteção à mulher, o assédio moral representa um dos grandes problemas trabalhistas contemporâneo, tendo em vista que as condutas machistas ou sexistas estão muitas vezes presentes no espaço laboral. Em razão da complexidade da temática “gênero e assédio moral nas organizações” associada aos espaços de trabalho, nesta pesquisa serão analisados alguns fatores e indicadores que contribuem para o assédio moral de gênero nas várias dimensões do trabalho sob a luz da Geografia que permite através de uma metodologia própria a compreensão integrada das realidades sociais. É nesta perspectiva que a questão do assédio moral ao gênero se enquadra na investigação geográfica e aponta que as diferenças físicas, biológicas e sociais entre mulheres e homens contribui para promover desigualdades e revelar que as mulheres estão mais vulneráveis e são frequentemente mais assediadas no ambiente de trabalho que os homens.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/Rlagg.v.10.i1.0006

 

Revista Latino-americana de Geografia e Gênero  - UEPG
Fone: +55 (42) - 3220 - 3046
E-mail: generogeo@gmail.com