A cidade sob vigilância: Maringá (PR) nos arquivos da Delegacia de Ordem Política e Social (Dops) do Paraná (1947-1981)

Reginaldo Benedito Dias

Resumo


No início da década de 1990, o estado do Paraná foi pioneiro na abertura dos arquivos da Delegacia de Ordem e Política e Social (Dops) à consulta pública, iniciativa que contribuiu para a sedimentação de um campo de pesquisas acadêmicas sobre temas relacionados e subsidiou o avanço de lutas pelos direitos humanos. O presente artigo tem o objetivo a investigar e interpretar como os movimentos e agentes políticos da cidade de Maringá (PR) foram vigiados pela Dops e registrados em seus arquivos. Como regra, a delegacia tinha seu trabalho direcionado pela natureza das atividades e não pela base espacial, mas o mapeamento de suas ações em um dado território é revelador da trama política ali vivida e da incidência das atividades dos órgãos de segurança em sua dinâmica política. A investigação abarca o período de 1947 ao início da década de 1980, vale dizer, da fundação de Maringá até a desativação da delegacia. O acervo é eclético e permite diversas incursões, mas a análise priorizou as incidências mais representativas sobre movimentos sociais e atividades de partidos e agrupamentos de esquerda, seguindo as prioridades da Dops.


Palavras-chave


Delegacia de Ordem Política e Social; Maringá (PR); movimentos políticos de esquerda; repressão, ditadura.

Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia