A crítica e a consagração de Helena Kolody no campo literário e intelectual paranaense

Claércio Ivan Schneider, Tiago Boruch

Resumo


O presente artigo objetiva compreender, com o apoio metodológico de Pierre Bourdieu, a crítica e a consagração da poetisa Helena Kolody e de seu projeto criador no campo literário e intelectual paranaense. Buscamos problematizar a posição intelectual da autora bem como analisar, a partir de sua construção poética, as representações regionais que Kolody reproduz em torno da figura do imigrante ideal – religioso, laborioso e modernizador – influenciada pelos ideais do Movimento Paranista. Para isso, percorremos os caminhos da crítica que consolidou o nome da poeta como intérprete “autorizada” do Paraná, bem como buscamos na obra os elementos da identidade, da cultura e do cotidiano eslavo que desempenharam relevante papel na representação dos imigrantes ucranianos. Buscamos demostrar que a consagração da poeta como porta voz da cultura ucraniana no Paraná está intimamente ligada ao temas regionais e ao uso de um conjunto de símbolos, de representações e de memórias que vão ao encontro dos preceitos oficiais que narram a saga dos imigrantes no Paraná. Representação esta que exclui do Paraná a diversidade étnica e social já há muito tempo tematizada por uma historiografia contemporânea.

Palavras-chave


História Cultural; Região; História e literatura

Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia