A gênese de uma nação rentista: petróleo e política externa numa Venezuela em transição

Pedro Henrique de Moraes Cicero

Resumo


O artigo expõe e analisa as implicações decorrentes do rentismo tanto para a estrutura político-econômica doméstica quanto para a política externa exercida pela Venezuela. Ao constatar que a riqueza do país é gerada, majoritariamente, pelo comércio do petróleo no exterior, o texto problematiza as dificuldades enfrentadas em razão de esta atividade não compor uma cadeia produtiva extensa, mas, sim, um conjunto restrito de ações e serviços vinculados à extração de recursos não-renováveis. Nesse contexto, apresentam-se as diferentes maneiras pelas quais a natureza rentista da economia venezuelana repercutiu, também, em sua política externa. O marco temporal recai sobre o processo que, entre 1908 e 1945, consolidou a primazia da atividade petrolífera, enfatizando-se o emergir da “diplomacia do petróleo” e o estabelecimento da vocação centro-americanista e caribenha da política externa venezuelana.


Palavras-chave


Rentismo; Petróleo; Política Externa

Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia