Legitimidade e ilegitimidade no armamento de escravos: milícias privadas, negociação e criminalidade na sociedade mineira setecentista

Ana Paula Pereira Costa

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar a posse e uso de armas pelos escravos na comarca de Vila Rica em Minas Gerais na primeira metade do século XVIII evidenciando, por um lado, a ilegitimidade do fenômeno, ou seja, o cenário de crimes e violências decorrentes do armamento generalizado, e, por outro lado, sua faceta de legitimidade oriunda da dependência que a coroa portuguesa e os senhores tinham da mobilização de milícias particulares de escravos armados para a efetuação de várias diligências o que, por sua vez, evidencia um lado consensual da escravidão.


Palavras-chave


armas, milícias particulares de escravos, criminalidade, negociação.

Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia