BIOMASSA EM Pinus elliottii Engelm: UM DRENO PARA O CARBONO

Kristiana Fiorentin dos Santos, Mauro Valdir Schumacher, Aline Aparecida Ludvichak, Bernardo Corso Frantz, Leonardo Mortari Machado, Pierre André Bellé

Resumo


Estudos de biomassa e estoque de carbono são indispensáveis para o entendimento da dinâmica do carbono em plantações florestais. Deste modo, o presente estudo teve como objetivo quantificar a biomassa acima do solo e o estoque de carbono de um povoamento de Pinus elliottii Engelm. Para estimar a biomassa foi utilizado o método destrutivo de quantificação com amostragem de quatro árvores, distribuídas no centro de cada classe. A biomassa foi fracionada nos seguintes componentes: acículas, galhos, madeira do fuste e casca do fuste. A quantidade de biomassa total e de carbono foi de 173,0 e 74,7 Mg ha-1, respectivamente. Ao se tratar os componentes separadamente, tanto em relação à produção de biomassa como acúmulo de carbono, a distribuição percentual seguiu a seguinte ordem: madeira do fuste > casca do fuste > galhos > acículas.


Texto completo:

PDF

Referências


BALBINOT, R.; SCHUMACHER, M.V.; WATZLAWICK, L.F.; SANQUETTA, C.R. Inventário do carbono orgânico em um plantio de Pinus taeda aos 5 anos de idade no Rio Grande do Sul. Revista de Ciências Exatas e Naturais Vol. 5, n. 1, p. 59-68, 2003.

BALBINOTI, R.; VALÉRIO, A.F.; SANQUETTA, C.R.; CALDEIRA, M.V.W.; SILVESTRE, R. Estoque de carbono em plantações de Pinus spp. em diferentes idades no sul do estado do Paraná. Floresta Vol. 38, n. 2, p. 317-324, 2008.

CALDEIRA, M.V.W.; SCHUMACHER, M.V.; BARICHELLO, L.R.; VOGEL, H.L. Determinação de Carbono Orgânico em Povoamentos de Acacia mearnsii de Wild. plantados no Rio Grande do Sul. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais Vol. 1, n. 2, p. 47-54, 2003.

CUBAS, R.; COSTA, E.A.; FINGER, C.A.G.; MAYDANCHEN, V.Z. Modelagem da biomassa da regeneração natural em plantio de Pinus. Pesquisa Florestal Brasileira Vol. 36, n. 87, p. 303-310, 2016.

DAI, L.; JIA, J.; YU, D.; LEWIS, B.J.; ZHOU, L.; ZHOU, W.; ZHOU W.; JIANG, L. Effects of climate change on biomass carbon sequestration in old-growth forest ecosystems on Changbai Mountain in Northeast China. Forest Ecology and Management Vol. 300, p. 106-116, 2013.

FOELKEL, C.E.B.; BRASIL, M.A.M.; BARRICHELO, L.E.G. Métodos para determinação da densidade básica de cavacos para coníferas e folhosas. IPEF Vol. 2/3, n. 2/3, p. 65-74, 2008.

GIONGO, M.; SILVA, D.B.; KOEHLER, H.S.; MARCHETTI, M. Inventário de biomassa em um plantio de Pinus elliottii Engelm aos 23 anos de idade. Journal of Biotechnology and Biodiversity Vol. 2, n. 3, p. 81-86, 2011.

LISBOA, G.S.; LANZARIN, K.; LIRA, D.F.S.; PESCADOR, C.M.M.; WATZLAWICK, L.F.; VALÉRIO, A.F. Quantificação da biomassa em plantios de Pinus elliottii Engelm em Clevelândia – PR. Revista do Instituto Florestal Vol. 27, n. 1, p. 103-115, 2015.

LONDERO, E.K.; SCHUMACHER, M.V.; SZYMCZAK, D.A.; VIERA, M. Exportação e reposição nutricional no primeiro desbaste de um povoamento de Pinus taeda L. em área de segunda rotação. Ciência Florestal Vol. 21, n. 3, p. 487-497, 2011.

MATZENAUER, R.; RADIN, B.; ALMEIDA, I.R. Atlas Climático: Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Pecuária e Agronegócio; Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO), 2011.

SCHIKOWSKI, A.B.; CORTE, A.P.D.; SANQUETTA, C.R. Modelagem do crescimento e de biomassa individual de Pinus. Pesquisa Florestal Brasileira Vol. 33, n. 75, p. 269-278, 2013.

SCHIMIZU, J.Y.; SEBBENN, A.M. Espécies de Pinus na silvicultura brasileira. In: SHIMIZU, J.Y. (Ed.). Pinus na silvicultura brasileira. Colombo: Embrapa Florestas, 2008. p. 49-74.

SCHUMACHER, M.V.; WITSCHORECK R.; CALDEIRA M.V.W.; WATZLAWICK,L.F. Estoque de carbono em florestas de Pinus taeda L. e Acacia mearnsii De Wild. plantadas no Estado do Rio Grande do Sul – Brasil. In: SANQUETTA, C.R.; WATZLAWICK, L.F.; BALBINOT R.; ZILIOTTO, M.A.B.; GOMES, F.S. (Eds ). As Florestas e o Carbono. Curitiba, 2002. p. 141-152.

SCHUMACHER, M.V.; WITSCHORECK, R.; CALIL, F.N.; LOPES, V.G. Biomassa e nutrientes no corte raso de um povoamento de Pinus taedaL. de27 anos de idade em Cambará do Sul – RS. Ciência Florestal Vol. 23, n. 2, p. 321-332, 2013.

SETTE JUNIOR, C.R.; GEROMINI, M.P.; NAKAJIMA, N. Y. Quantificação de biomassa do tronco de Pinus taeda em plantios com diferentes idades na região de Rio Negrinho-SC. Biomassa & energia Vol. 1, n. 4, p. 343-346, 2004.

SETTE JR, C. R.; NAKAJIMA, N. Y.; GEROMINI, M. P. Captura de carbono orgânico em povoamentos de Pinus taeda L. na região de Rio Negrinho, SC. Floresta Vol. 36, n. 1, p. 33-44, 2006.

SILVEIRA, P.; KOEHLER, H.S.; SANQUETTA, C.R.; ARCE, J.E. O estado da arte na estimativa de biomassa e carbono em formações florestais. Floresta Vol. 38, n. 1, p. 185-206, 2008.

STRECK, E.V.; KÄMPF, N.; DALMOLIN, R.S.D.; KLAMT, E.; NASCIMENTO, P.C.; SCHNEIDER, P.; GIASSON, E.; PINTO, L.F.S. Solos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EMATER/RS, 2008. 126 p.

URI, V.; VARIK, M.; AOSAAR, J.; KANAL, A.; KUKUMÄGI, M.; LÕHMUS, K. Biomass production and carbon sequestration in a fertile silver birch (Betula pendula Roth) forest chronosequence. Forest Ecology and Management Vol. 267, p. 117-126, 2012.

VIERA, M.; SCHUMACHER, M.V.; BONACINA, D.M. Biomassa e nutrientes removidos no primeiro desbaste de um povoamento de Pinus taeda L. em Cambará do Sul, RS. Revista Árvore Vol. 35, n. 3, p. 371-379, 2011.

WATZLAWICK, L.F; CALDEIRA, M.V.W. Estimativa de biomassa e carbono orgânico em povoamentos de Pinus taeda L. com diferentes idades. Biomassa & Energia Vol. 1, n. 4, p. 371-380, 2004.

WATZLAWICK, L.F.; CALDEIRA, M.V.W.; GODINHO, T.O.; BALBINOT, R.; TRAUTENMÜLLER, J.W. Aboveground stock of biomass and organic carbon in stands of Pinus taeda L. Cerne Vol. 19, n. 3, p. 509-515, 2013.

WITSCHORECK, R. Biomassa e nutrientes no corte raso de um povoamento de Pinus taeda L. de 17 anos de idade no município de Cambará do Sul – RS. 2008. 81 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O CONTEÚDO DOS ARTIGOS É DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DOS AUTORES.