DIAGNÓSTICO DE PRODUÇÃO DE LODO NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA EM PALMAS-TO

Elaine Cunha Silva Paz, Isabel Cristina Araujo Vieira, Michelle Ludmila Guedes dos Santos, Giulliano Guimarães Silva, Sérgio Carlos Bernardo Queiroz, Cristina Filomena Pereira Rosa Paschoala, Luciana Rezende Alves de Oliveira

Resumo


As Estações de Tratamento de Água (ETA) são fundamentais para a garantia da qualidade da água. Nos Processos de tratamento da água bruta em água potável, as ETA utilizam produtos químicos na etapa de coagulação que uma vez agregado com as impurezas, geram quantidades significantes de resíduos sob forma de lodo. O manejo e a disposição adequada de lodos são os atuais desafios enfrentados pelas ETA, devido a sua toxicidade, o teor de sólidos e quantidade de água presente. O presente trabalho foi desenvolvido com objetivo de quantificar o lodo gerado pela descarga de decantadores da Estação de Tratamento de Água (ETA 003) de Ciclo Completo da cidade de Palmas – TO, fundamentado na metodologia, de Di Bernardo et al. (2012), que descreve os métodos para a realização dos estudos com os resíduos gerados em estações de tratamento de água. Foram avaliados resultados reais da caracterização da água bruta de entrada da ETA dos parâmetros turbidez e sólidos suspensos totais (SST), que serviram para estimar os resíduos gerados pela descarga dos decantadores e da água de lavagem dos filtros. A estimativa da massa seca crítica diária de lodo, com a ETA operando numa vazão de 100 L. s-1 e tempo de funcionamento de 21 h, foi de 0,78 t.d-1 enquanto que, a massa seca total de lodo gerada na ETA, no período de um ano, operando com vazão de 130 L.s-1 e tempo de funcionamento de 18 h foi de aproximadamente 75 toneladas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O CONTEÚDO DOS ARTIGOS É DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DOS AUTORES.