POLOS GERADORES DE VIAGENS E SUAS INTERFERÊNCIAS NA CIRCULAÇÃO VIÁRIA: CASO DO PARQUE SHOPPING BELÉM

irandir de castro diniz, Andreia do Socorro Conduru de Sousa Cardoso, Leonardo Augusto Lobato Bello, Tony Carlos Dias da Costa

Resumo


Resumo: O tráfego intenso e a má circulação viária no entorno de Shopping centers são fatos vivenciados pela população das grandes cidades. Esse tipo de empreendimento é definido como Polo Gerador de Viagem (PGV), que causa impactos e interferências na circulação viária na sua área de influência. O objetivo deste trabalho consiste em estudar até que ponto um shopping de grande porte, enquanto PGV, interfere na circulação viária do seu entorno imediato. A legislação municipal (plano diretor  lei 8.655/2008 e decreto 80.806/2014), estabelece que antes da instalação e operação de empreendimentos, definidos como atrativos de trânsito, seja feito um Estudo de Impacto no Trânsito (EIT), para complementar o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV), esses estudos têm como objetivo fornecer um diagnóstico preliminar da área afetada, levando em consideração os impactos no sistema viário, no meio ambiente natural e construído, assim como estabelecer medidas que possam compensar e/ou mitigar os efeitos indesejáveis. Quanto a metodologia da pesquisa, adotou-se a de Portugal e Goldner, e para caracterizar os percentuais das categorias de viagens, foi realizada pesquisa de origem e destino. Os resultados demonstraram que no dia mais crítico, a sexta-feira, 80% dos usuários realizaram viagens primárias e 58% dos 80% utilizaram veículo particular como meio de transporte, sendo essas as viagens que causam impacto na circulação viária, ratificando a hipótese levantada.

 

Palavras-chave: Polos geradores de viagens; Estudo de impacto no trânsito; Geração de viagem.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O CONTEÚDO DOS ARTIGOS É DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DOS AUTORES.