Representações midiáticas do MST: entre censuras e potências da mídia

Yasmin Ribeiro Gatto, André Aparecido Medeiros

Resumo


O MST, como outros movimentos sociais, não costuma ser noticiado de forma adequada, fazendo com que os militantes sejam alvo de preconceitos e as agressões recebidas, que acabam sendo naturalizadas. A gravidade desse fato se faz visível na medida em que se reconhece que, ao retratar assuntos de interesse público, o jornalismo exerce influência sobre a sociedade, produzindo discursos que repercutem na formação do imaginário coletivo, muitas vezes consolidando imagens deturpadas. Buscando identificar meios pelos quais dois sites de diferentes tipos de mídia fazem seu enquadramento, foram analisadas quatro notícias – duas do G1 e duas do site oficial do MST – relativas a fatos do dia 7 de abril de 2016, envolvendo a Policia Militar e militantes do MST, acampados em Quedas do Iguaçu, Paraná. Este trabalho tem como premissa que na mídia alternativa ou radical e em estratégias como a Comunicação Para a Paz podem ser encontradas opções à comunicação tendenciosa, abrindo espaço para diferentes grupos e mensagens.


Palavras-chave


movimentos sociais; MST; mídia alternativa; enquadramento jornalístico; Comunicação para a Paz

Texto completo:

PDF
';



Indexadores: LatindexIBICT/ SEERREVIScomDiadorim; EBSCO; Dialnet; Doaj

Creative Commons BY-SA 3.0 - Revista Pauta Geral - estudos em jornalismo 2014 - 2018, periódico científico do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UEPG: É permitido copiar e redistribuir o material em qualquer suporte ou formato, remixar, transformar, e criar a partir do material para qualquer fim, mesmo que comercial, desde que citada a fonte. Aqueles que o fizerem, devem manter o mesmo padrão de direito autoral.