CHAMADA V.6, N.1

Dossiê Literatura, Identidades e Pós-modernidade: intervalo e crise

O dossiê do número 1/2017, da Revista Muitas Vozes, reunirá artigos que apresentem criticamente a abordagem de textos literários em que a prática reflexiva, autorreferencial e especulativa associada à noção geral de pós-modernidade se realize. As premissas da pós-modernidade às quais nos referimos estão presentes, marcadamente, na produção dos teóricos Zygmunt BaumanJean-François LyotardJacques Derrida e seus interlocutores mais próximos, como Michel Foulvault, Gilles Deleuze e Felix Guattari. Partimos da compreensão de que aquilo que por algum tempo foi chamado de pós-modernidade vive também a sua crise, na medida em que problematizar os meios de expressão no campo da realização literária tornou-se insuficiente como dicção do mundo e da vida. Afirmar ou negar a pós-modernidade tem sido, já há algum tempo, um exercício crítico recorrente, desejamos, com esse número, reunir abordagens críticas capazes de apontar um conjunto de textos literários que escapam, ou manifestam o desejo de escapar, às armadilhas da autorreferenciação. Importa, nesse caso, demonstrar em que medida os textos produzidos no cenário das literaturas em língua portuguesa ou estrangeira contemporânea, pós 1970, figuram o mundo e a vida em um contexto de questionamentos dos próprios meios de realização da literatura. 

As seções Artigos, Documentos e Resenhas são de temática livre e de fluxo contínuo. 

Organizadora: Silvana Oliveira

Prazo para envio: 30 de junho de 2017.

Previsão de publicação: dezembro de 2017.