A EDUCAÇÃO COMO APORTE DE SOCIALIZAÇÃO E CONSTITUIÇÃO DA CIDADANIA: COMPREENDENDO AS RELAÇÕES DE PODER COMO SUBSÍDIO TEÓRICO NA CONFIGURAÇÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS. - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/PublicatioHum.v.17i2.167175

Everton Bandeira Martins, Jorge Luiz da Cunha, Derocina Campos Sosa

Resumo


Neste texto discorreremos sobre o papel da Educação como fonte de difusão e produção do conhecimento na sociedade contemporânea, destacando os processos educativos. Ao longo do escrito defenderemos que cabe às  diferentes práticas educacionais o objetivo das mudanças sociais nas diferentes estruturas organizacionais. Para tal, se faz indispensável refl etirmos sobre o papel da Educação como práxis de socialização na constituição do senso de cidadania entre seus partícipes. Por isso, optamos por discutir a relação Conhecimento-Poder, sendo cabível nessa perspectiva a análise da confi guração das redes de poder existentes na sociedade hodierna. Assim, partiremos do cruzamento das discussões, concatenando que na ordem mundial atual, existe certa mobilidade da população, porém, uma mobilidade controlada. Nesse aspecto emerge o conceito de cidadania, do qual trataremos. Escolhemos este caminho por acreditarmos que a cidadania pode ser alcançada por todos na teoria, mas na prática apenas alguns poucos conseguem romper com o status quo. Isso evidencia que os profissionais da área da Educação devem pautar suas atuações, focados não apenas nas práticas escolares, mas oferecendo subsídios aos diversos produtores de processos educativos. Destacaremos esses pensamentos com o objetivo de romper com.a dicotomia cidadão, não cidadão, o qual não tem mais motivos para se apresentar. Por esse motivo se fez necessário abordar o papel dos processos educativos, no que se referem às discussões a respeito de práticas cotidianas. Assim, defenderemos que é só a partir dos processos educativos, e aí se incluem as práticas escolares, principalmente as do Ensino Básico obrigatório, que existe uma maior possibilidade de afetar a atual realidade, na busca de rompimentos. Por fim, discorreremos sobre a Educação que é vista como um processo de humanização, que se dá ao longo de toda a vida, em sociedade, sendo, por isso, produto e produtora das complexas redes sociais, servindo tanto como legitimadora, quanto como catalisadora de mudanças.


Palavras-chave


Relações de poder; Processos educativos; Cidadania;

Texto completo:

Artigo


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/publ.humanas.v17i2.1770