ALTERAÇÕES DE MOTRICIDADE OROFACIAL E PRESENÇA DE HÁBITOS NOCIVOS ORAIS EM CRIANÇAS DE 5 A 7 ANOS DE IDADE: IMPLICAÇÕES PARA INTERVENÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS EM ÂMBITO ESCOLAR - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/Publ.Biologicas.v.14i1.029039

Gilsane Raquel Czlusniak, Fabiani Coelho Carvalho, Jáima Pinheiro de Oliveira

Resumo


A persistência de hábitos nocivos orais ao longo do desenvolvimento infantil pode provocar alterações e interferir no padrão normal de crescimento facial e no desempenho das funções estomatognáticas. Este estudo teve como objetivo principal identificar a incidência de alterações de motricidade orofacial e de hábitos nocivos orais em crianças na faixa etária de 5 a 7 anos, buscando relações entre essas manifestações. Além disso, o trabalho teve também como meta caracterizar as alterações principais observadas na amostra, indicando também possibilidades de ações educativas em âmbito escolar. Fizeram parte desta pesquisa 31 crianças, de ambos os sexos, que freqüentavam uma escola pública do Estado do Paraná. Foram aplicados questionários junto aos pais para a investigação da presença de hábitos orais nocivos e feita uma avaliação dos aspectos de motricidade orofacial com as crianças. De um total de 31 crianças, 24 apresentaram alterações de motricidade orofacial. Destas, 19 apresentaram hábitos orais nocivos. Em relação às alterações de motricidade orofacial, destacam-se as de postura, tonicidade e mobilidade dos órgãos fonoarticulatórios. Foram observados também problemas nas funções de mastigação, articulação da fala, deglutição e respiração. Ao final da pesquisa, foram feitos aconselhamentos em âmbito escolar, com a presença de pais e professores, com ênfase para a ajuda fundamental dos educadores em relação ao processo de eliminação dos hábitos orais nocivos em crianças que freqüentam a escola em período integral.


Palavras-chave


Desenvolvimento infantil; Fonoaudiologia na escola; Alterações do sistema estomatognático; Sucção de chupeta; Uso de mamadeira

Texto completo:

Artigo


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/publicatio%20uepg.v14i1.480


O CONTEÚDO DOS ARTIGOS É DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DOS AUTORES.