A UTILIZAÇÃO DE ADESIVOS AUTOCONDICIONANTES EM ORTODONTIA: O ESTADO DA ARTE - DOI: 10.5212/Publ.Biologicas.v.16i2.0002

Fabiane Renó de Souza, Suellen Bispo Rodrigues, Emigdio Enrique Orellana Jimenez, Ulisses Coelho

Resumo


O objetivo deste estudo foi revisar a respeito dos adesivos autocondicionantes quanto às características físico-químicas, as modificações suscitadas no esmalte, o tempo médio de aplicação e sua efetividade clínica em Ortodontia. Concluiu-se que os adesivos autocondicionantes: apresentam em sua composição a incorporação de derivados do ácido carboxílico (4-MET) ou monômeros fosfonados (Fenil-P, 10-MDP e PENTA), a presença de água (H2O) e pH em torno de 1 a 2; proporcionam uma perda menor de quantidade de esmalte e menor risco de fratura de esmalte em relação aos adesivos convencionais; o tempo de aplicação deve seguir as normas dos fabricantes e a resistência de união apresenta variabilidade de resultados, principalmente em Ortodontia. Sugere-se que mais estudos devam ser realizados para analisar a eficiência clínica destes adesivos.


Palavras-chave


Autocondicionantes. Colagem. Condicionamento. Braquetes. Ortodontia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/publicatio%20uepg.v16i2.3146


O CONTEÚDO DOS ARTIGOS É DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DOS AUTORES.