ANALGESIA PREEMPTIVA EM ODONTOLOGIA - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/Publ.Biologicas.v.14i2.023030

Katheryne Sue DeJean, Isis Rodrigues Menezes dos Santos, Fábio Vasconcelos Andrade, Liane Maciel de Almeida Souza

Resumo


A lesão tecidual promove a sensibilização dos nociceptores periféricos (hiperalgesia) e o subseqüente estímulo que amplifica a dor ao nível do sistema nervoso central. A analgesia preemptiva consiste em um tratamento farmacológico iniciado antes do procedimento cirúrgico, a fim de prevenir a hiperalgesia. Teoricamente, isto poderia ser mais eficaz se comparado a um regime analgésico introduzido após o término da intervenção, quando o processo inflamatório já se desencadeou. De fato, em medicina, já foram testados protocolos de analgesia preemptiva com alguns resultados favoráveis. Na área odontológica, os primeiros ensaios clínicos onde foi empregada esta “nova” modalidade de prevenção e controle da dor são mais ou menos recentes, ou seja, a maioria dos profissionais da área não tem conhecimento do assunto.  Por este motivo, nesta revisão da literatura, são apresentados e discutidos os resultados dos estudos realizados na clínica odontológica, quando a analgesia preemptiva foi empregada. Concluiu-se que ainda não há um consenso sobre a eficácia deste regime analgésico, bem como em relação aos fármacos de escolha, dosagens e posologias.


Palavras-chave


Analgesia; Dor; Hiperalgesia;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5212/publicatio%20uepg.v14i2.1277


O CONTEÚDO DOS ARTIGOS É DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DOS AUTORES.