REPRESENTAÇÕES SOBRE A EUGENIA NO DIÁRIO DOS CAMPOS, 1907-1921

Isaias Holowate, Dones Claudio Janz Jr

Resumo


A eugenia foi um movimento científico e social amplamente presente nas discussões intelectuais durante o final do século XIX e início do século XX. Surgida a partir das teorias do antropólogo inglês Francis Galton, ela tinha como objetivo principal o aprimoramento da espécie humana. Porém, ao ser apropriada por intelectuais de diversas regiões do mundo, a eugenia foi ressignificada e representada de diversas formas, de acordo com a cultura com o qual entrava em contato. No Brasil, ela ganhou vulto a partir das primeiras décadas do século XX, pois os pressupostos eugenistas ajudavam a explicar o atraso do país em relação às nações mais desenvolvidas. A cidade de Ponta Grossa, no Paraná, que nesta época que passava por um período agitado política e culturalmente, acolheu a teoria eugenista, produzindo discursos que embora se alinhassem com a perspectiva majoritária do período, apresentava também algumas particularidades. A pesquisa faz um levantamento das diversas representações eugenistas presentes no jornal ponta-grossense Diário dos Campos, entre os anos de 1907 e 1921, num período em que a publicação esteve sob a ascendência do jornalista Hugo dos Reis, primeiro como redator e depois proprietário do periódico. A partir das investigações, busca-se refletir sobre as características da eugenia local, e embasados na teoria das representações do historiador Roger Chartier, demonstrar que a forma com que cada grupo representa determinados bens culturais, como o discurso eugenista, é peculiar às suas condições de existência.


Palavras-chave


Eugenia; Jornal Diário dos Campos; Ponta Grossa; Representações.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários