DE HISTÓRIAS E TRADIÇÕES: O CENTRO CULTURAL EUCLIDES DA CUNHA E A HISTORIOGRAFIA NO PERIÓDICO TAPEJARA (1950- 1961)

Caroline Guebert, Erivan Karvat

Resumo


Este estudo propõe investigar o delineamento de discursos históricos e de práticas intelectuais na atuação do Centro Cultural Euclides da Cunha (CCEC), círculo intelectual que existiu entre 1948 e 1985 em Ponta Grossa, no interior do Paraná e que possuía uma rede de correspondentes em todo o Brasil. O agrupamento, sobretudo na década de 1950, produziu e veiculou uma série significativa de textos através do periódico criado por ele, o Tapejara, que se notabiliza como o principal divulgador das suas elaborações, anseios e resultados. Os integrantes desse Centro foram entendidos como intérpretes com tendências próprias, que se voltavam a pensar o Brasil, a partir de uma relação particular com a obra de Euclides da Cunha e com as dimensões do passado, do presente e do futuro. Considerando as particularidades dos intelectuais de província e a forma como os integrantes da instituição representaram a si mesmos perante o seu tempo e para a posteridade, nosso objeto – o “fazer história” do CCEC – foi investigado com base nas orientações teórico-metodológicas de Michel de Certeau, entendendo a historiografia enquanto um discurso que resulta de um lugar social de produção e de um conjunto de operações.


Palavras-chave


Centro Cultural Euclides da Cunha; Intelectuais locais; Historiografia; Tapejara

Texto completo:

PDF