A ROTA DOS ALIMENTOS NORDESTINOS QUE ABASTECEM CUBATÃO-SP E O CONSUMO DE REFEIÇÕES TÍPICAS COMO REFERÊNCIA IDENTITÁRIA DOS MIGRANTES NORDESTINOS DA CIDADE. UM ESTUDO NO ANO DE 2015

Morgana Souza Monteiro, Alessandro Alberto Atanes Pereira

Resumo


Cubatão é uma cidade paulista em que 26,38% dos moradores são nascidos no Nordeste de acordo com o último recenseamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Parte desses migrantes que adotaram o município como terra de vivência ainda possui profundo laço identitário com a Região de origem, ligação essa manifestada através do consumo de alimentos procedentes do Nordeste. Nesse sentido, destaca-se em Cubatão a presença de um centro de distribuição desses alimentos, a “Casa Sergipe”, que traz dentro de um caminhão, duas vezes por mês, 23 toneladas dessas diversas mercadorias. Os itens viajam 2.300 quilômetros da cidade de Itabaiana, Sergipe, até as escarpas de Cubatão e tem destino certo: as chamadas Casas do Norte, estabelecimentos comerciais especializados na venda de produtos nordestinos. Essa rota compreende a distribuição dessas mercadorias para pequenas Casas do Norte situadas em Cubatão e outros municípios próximos. A partir daí, os alimentos seguem para as casas dos migrantes, que podem saborear o gosto da terra natal por meio da farinha de mandioca, castanha de caju, inhame, por exemplo. Este artigo destaca a rota desses produtos típicos e aponta as refeições nordestinas como referências identitárias para o migrante nordestino em Cubatão. A autora sugere que essas referências desenvolvem o papel de indutoras de narrativas da memória social.

Texto completo:

PDF