A presença do MST no Município de Congonhinhas (1999-2012)

Junahil Ferreira Mainardes, Lucas Patschiki

Resumo


O presente artigo buscou analisar porque no município de Congonhinhas-PR foi permitida uma incorporação menos problemática do MST à sua dinâmica. A pesquisa procurou analisar como se deu o processo de socialização entre os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e os moradores da área urbana do município e quais foram às transformações sociais, culturais e econômicas ocorridas no espaço local de Congonhinhas a partir da ocupação dos integrantes do movimento no ano de 1999, formando nos anos posteriores os assentamentos de Carlos Lamarca, Robson de Souza, Roximi e Rosa Luxemburgo. Esses assentamentos constituídos por famílias do município de Congonhinhas e de outros municípios da região foram ao longo do tempo se integrando a população do município e atualmente essas famílias estão totalmente integradas à comunidade e participam de todas as decisões importantes do município. Através do uso das técnicas da História Oral, o presente trabalho procurou compreender o processo de socialização entre os diferentes grupos a partir da visão de quatro colaboradores, o líder do MST, Márcio Leandro Conrat, a secretária do MST e também assentada, Márcia, a comerciante e professora municipal Marlene Aparecida de Paiva Rosa e o assentado Lourival Pedro da Silva para tentar explicar porque em Congonhinhas a atuação do MST foi vista como um marco histórico para o município.


Palavras-chave


Sociabilidades. Congonhinhas. História Oral.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários