A REPRESENTAÇÃO DO CIGARRO E DOS JOGOS AMOROSOS NAS CAPAS DA REVISTA PARA TODOS... FEITAS POR J. CARLOS (1926-1931).

Larissa Brum Leite Gusmão Pinheiro, Artur Freitas

Resumo


A pesquisa aborda as representações sobre o uso do cigarro industrializado por mulheres, e a presença desse novo elemento nos jogos amorosos, nas capas da revista ilustrada Para Todos... feitas pelo artista J. Carlos, entre 1926-1931. Essas representações foram impulsionadas pelo avanço da modernidade nas primeiras décadas do século XX no Brasil. Importante ilustrador e cronista visual brasileiro, J. Carlos representou a relação entre subjetividade moderna e formas do cotidiano de diferentes maneiras. A revista ilustrada Para Todos..., que circulou no Brasil entre 1918-1932, teve a partir de 1926 seu foco voltado à temática mundana, abordando o cotidiano, como a música, o teatro, a moda, os hábitos culturais, o cinema e seus artistas, entre outros assuntos. Segundo Sevcenko, o “ser moderno” estaria ligado à identificação com a tecnologia e com as atitudes individualistas associadas a símbolos cosmopolitas, como o telefone, o rádio, a revista ilustrada, o automóvel, o flirt, o cigarro industrializado, entre outros – vários desses temas estão presentes nas ilustrações de J. Carlos. Essas transformações trouxeram um novo ritmo para a sociedade, um ritmo evidentemente mais acelerado. As representações de comportamentos e a vida cotidiana dos brasileiros – e em particular dos cariocas – foram elaboradas por J. Carlos nas revistas, formalizando um aspecto sensível do mundo a sua volta.


Palavras-chave


J. Carlos, Para Todos..., modernidade, representação, cigarro, jogos amorosos.

Texto completo:

PDF